200 alunos de Ilha Comprida fazem “Trilha da Memória” em Iguape/SP

trilha da memóriaCerca de 200 alunos , acompanhados pela  Diretora, professores e coordenadores da Escola Municipal Meu Recanto da cidade de Ilha Comprida participaram do projeto “Trilha da Memória” , com visitas monitoradas que estimulam o sentimento de pertencimento do Patrimônio Cultural Histórico.

Na foto, com os alunos,  a diretora da Casa do Patrimônio Vale do Ribeira  Myrian Teresa em frente à Antiga Casa de Fundição de Ouro , situada em Iguape/SP,  e que passa por um processo de restauração através do Programa PAC Cidades Históricas.

Anúncios

Caderno de Obra – Casa de Fundição em Iguape/SP

Esta série de posts que resolvemos chamar de “Caderno de Obra” mostra a evolução das obras de restauração do Correio Velho, da Casa de Fundição e futuramente do Paço Municipal e Sobrado dos Toledos, em Iguape.

As fotos acima são da situação atual no canteiro de obras da Casa de Fundição ( Museu Municipal)  em Iguape/SP.

A visitação do público à obra é liberada todas as quartas-feiras, das 11:00 às 12:00 hs, através de pré-agendamento.   O número máximo de visitantes é de 5 pessoas por grupo e a duração  20 minutos.  As pessoas devem, por medidas de segurança, utilizar calçados fechados ( não sandálias, chinelos, rasteirinhas,etc). O pré-agendamento é feito na Casa do Patrimônio , na rua 15 de Novembro, 218 , fone (13) 3841 5503.

A restauração é uma obra do Iphan, através da Superintendência em São Paulo, dentro do Programa PAC Cidades Históricas 2, do Governo Federal.

Editais para projetos de restauração do Paço Municipal e do Sobrado dos Toledos já foram lançados no ComprasNet, o portal de compras do Governo Federal

MINISTÉRIO DA CULTURA
Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional
9ª Superintendência Regional
Código da UASG: 343009

Tomada de preço Nº 3/2013
Objeto: Contratação de serviços técnicos especializados de engenharia e arquitetura, a serem executados por pessoa jurídica, visando a execução de Elaboração de Projeto Executivo e Complementares de Restauração do Paço Municipal, situada em Iguape/SP.
Edital a partir de: 25/11/2013 das 10:00 às 12:00 Hs e das 15:00 às 17:00 Hs
Endereço: Av. Angelica 626 – Santa Cecilia – – São Paulo (SP)
Telefone: (0xx11) 38260744
Entrega da Proposta: 10/12/2013 às 10:00Hs

Tomada de preço Nº 4/2013
Objeto: Contratação de serviços técnicos especializados de engenharia para Elaboração de Projeto Executivo e Complementares de Restauração do Sobrado dos Toledos, em Iguape/SP.
Edital a partir de: 25/11/2013 das 10:00 às 12:00 Hs e das 15:00 às 17:00 Hs
Endereço: Av. Angelica 626 – Santa Cecilia – – São Paulo (SP)
Telefone: (0xx11) 38260744
Entrega da Proposta: 10/12/2013 às 14:00Hs

Veja aqui, em PDF, os Editais retirados do sítio www.comprasnet.gov.br >

TP 03 2013 – Projeto Paço Municipal Iguape

TP 04 2013 – Projeto Sobrado dos Toledos Iguape

Visita do Coordenador Nacional do PAC Cidades Históricas à Iguape reforça ações do Iphan no Vale do Ribeira

pac

A visita à Iguape do Coordenador Nacional do PAC Cidades Históricas, Robson Almeida, junto com a Superintendente do Iphan em São Paulo, Anna Beatriz Ayroza Galvão nesta sexta-feira (22) vem reforçar as ações que o Iphan está desenvolvendo no Vale do Ribeira. As autoridades se reuniram com o  prefeito Tony Ribeiro, quando foi explicado o andamento dos projetos. Logo em seguida foi feita uma visita às 3 edificações contempladas com os recursos do PAC Cidades Históricas : o Paço Municipal, o Museu (antiga Casa de Fundição) e o Sobrado dos Toledos. Anna Beatriz Ayroza Galvão ressaltou que as obras serão executadas diretamente pelo Iphan , que realizará as licitações necessárias para sua execução.

Leia também >

Veja aqui quais são as obras do Iphan através do PAC Cidades Históricas em Iguape

Editais para projetos de restauração do Paço Municipal e do Sobrado dos Toledos já foram lançados no ComprasNet, o portal de compras do Governo Federal

Entrevista: Arq. Darlan Firmato, consultor da Unesco junto ao Iphan/SP esclarece sobre as obras do PAC Cidades Históricas em Iguape

darlanO arquiteto Darlan Firmato é consultor contratado pela UNESCO, disponibilizado para o IPHAN/SP, como responsável pela análise de documentos pertinentes ao acompanhamento e execução das ações do PAC Cidades Históricas nas cidades de Iguape e São Luiz do Paraitinga. Darlan tem no seu currículo especializações em Computação Gráfica e Design de Produtos . É também gestor de projetos, com certificação internacional pelo PMI, e MBA em Gestão de Projetos, pela FGV, com 10 anos de experiência atuando em arquitetura, incluindo obras de restauro, a exemplo da Santa Casa de Misericórdia da Bahia, primeiro hospital do Brasil e integrante da equipe da 3ª Etapa de Restauro do Conjunto Arquitetônico do Pelourinho, em Salvador/BA.

P : Darlan, uma curiosidade que a população de Iguape tem. Quando começam as obras ?
Sabemos que este é o ápice do trabalho e o grande anseio das pessoas, mas temos uma importante fase a ser cumprida, que é o planejamento destas obras, que passa pela formalização documental entre os proprietários dos imóveis e o Iphan. Depois a aprovação e licitação dos projetos e então, uma nova licitação para contratar as obras. O período máximo para conclusão das intervenções foi definido em três anos.

P : Há alguma prioridade no início das licitações ? Qual ?
Sim, em etapa anterior, o Iphan já providenciou o Projeto Executivo da antiga Casa de Fundição, que apesar de estar funcionando como Museu Histórico Municipal, precisa de melhorias e adequações funcionais e de acessibilidade e valorizar a relevância que este imóvel tem para o Brasil. Dessa forma, após validação dos documentos e liberação dos recursos, estaremos aptos para licitar a obra. O que deve acontecer até o primeiro semestre de 2014.

P: Quais os recursos destinados para cada prédio ?
Iguape foi contemplada com três intervenção: a antiga Casa de Fundição, com R$800.000,00(obra), o Paço Municipal, com R$3.350.000,00(projetos e obra) e o Sobrado dos Toledos, com R$ 4.257.000,00(projetos e obra)

P : Quais os critério de escolha para os três prédios ( Sobrado dos Toledos, Casa de Fundição e Paço Municipal) ?
Os imóveis foram alguns dos indicados pela Prefeitura Municipal, que após análise do IPHAN Nacional, priorizou estes imóveis para serem restaurados no âmbito do PAC Cidades Históricas 2. Tratam-se de importantes exemplares do patrimônio arquitetônico brasileiro, que devido a sua relevância foram escolhidos, neste momento.

P : Quem irá executar as 3 obras ?
As obras serão executadas pelo IPHAN/SP, através de licitações para os projetos e obras.

P: De acordo com a complexidade de cada restauração , qual deles deverá ficar pronto primeiro ?
Em função de já ter projeto definido e da obra ser menor, a antiga Casa de Fundição poderá ficar pronta antes dos outros imóveis.

P : Por quê o “Correio Velho” não foi incluído nas obras do PAC ?
O prédio do “Correio Velho” não foi incluído porque ele é objeto de um outro convênio do IPHAN com a Prefeitura Municipal de Iguape.

P: Qual os benefícios que estas obras trarão para a cidade e seus habitantes ?
Além da valorização do patrimônio, após restaurados, os imóveis promoverão a elevação da auto-estima da cidade e do seu povo, pela importância cultural e afetiva que os moradores de Iguape têm com estes prédios. O Museu será revitalizado e estará mais moderno e adequado para abrigar os bens, receber moradores e turistas, o Paço Municipal estará mais adequado para atender a população e os servidores municipais e o Sobrado dos Toledos, abrigará o novo Centro de Atendimento ao Romeiro, considerando a importância da Festa em louvor do Senhor Bom Jesus e Nossa Senhora das Neves e nos demais dias do ano, poderá ser solicitada pelos iguapenses ou por outras instituições para abrigar eventos de caráter público como apresentações e exposições, além de poder se tornar um ótimo ponto de encontro.Darlan-Firmato-2

Veja quais são as obras do PAC Cidades Históricas em Iguape

Sobrado dos Toledos

sobrado-dos-toledos

Segundo o historiador Roberto Fortes, ao escrever sobre o Casario de Iguape, “o Sobrado dos Toledos foi construído na primeira metade do Século 19, O agricultor e capitalista José Carlos de Toledo, o seu mentor, morreu empobrecido após o prédio ser confiscado pela justiça. Em 1879, seus filhos e o seu genro adquiriram o imóvel do Juízo Municipal de Iguape. Em 1918, Antônio Carlos de Toledo Júnior  venderam suas partes para Ana de Toledo Aguiar. Em 1931, foi feita a doação do sobrado ao Santuário do Bom Jesus, para que abrigasse os romeiros durante as festividades do padroeiro.”

Sobrado do Comendador (Paço Municipal)

prefeitura-iguape

O prédio fica na esquina das ruas 9 de julho e 15 de Novembro ( que antigamente se chamavam Rua Direita e Rua da Glória, respectivamente). O prédio foi construído entre 1865 e 1866.  Era ocupado na sua parte térrea com os negócios e o escritório do Comendador e seu andar superior servia de residência para a família. Foi sede do Club Beneficente e Recreativo Iguapense e da Câmara Municipal. Em 1945 foi adquirido pela Prefeitura passando a ser , até os dias de hoje,  o Paço Municipal.

Casa de Fundição ou Cadeia Velha

foto : Wikipédia

Fica localizada na Rua da Neves, 11 e é uma construção original do Século XVII.  Estabelecida em 1653, a Casa de Fundição, já serviu como quartel e Casa da Câmara e Cadeia . Atualmente abriga o Museu Municipal de Iguape.  As Casas de Fundição recolhiam o ouro extraído pelos mineiros, purificavam-no e o transformavam em barras, nas quais era aposto um cunho que a identificava como “ouro quintado”, isto é, do qual já fora deduzido o tributo do “quinto”. Era também expedido um certificado que deveria acompanhá-la daí em diante.

Leia também > Superintendente do IPHAN faz visita técnica a Iguape

 Entrevista: Arq. Darlan Firmato, consultor da Unesco junto ao Iphan/SP esclarece sobre as obras do PAC Cidades Históricas em Iguape

Em São João del-Rei / MG, Presidenta Dilma anuncia R$ 1,9 bilhão para PAC Cidades Históricas. Iguape é uma das cidades contempladas

Iguape foi uma das cidades contempladas com a verba do PAC Cidades Históricas foto: R.Stuckert/PR

Com um total de R$ 1,6 bilhão em obras de restauração, o que representa acréscimo de R$ 600 milhões em relação à previsão divulgada em janeiro, a presidenta Dilma Rousseff anunciou a relação das ações que serão contempladas no PAC Cidades Históricas ao longo dos próximos três anos.
Além dos recursos para obras que serão destinados a 44 cidades de 20 estados brasileiros, outros R$ 300 milhões serão utilizados como linha de crédito para o financiamento de restauro e obras em imóveis privados localizados em áreas tombadas. O Programa do Governo Federal envolve, em sua formulação e implementação, os Ministérios da Cultura e do Planejamento e o IPHAN.
“Conhecer, respeitar e preservar as cidades históricas são requisitos para construirmos nosso futuro como nação democrática, civilizada e capaz de se erguer sobre os prórprios pés. Investindo no patrimônio Cultural estamos investindo em nós mesmos”, disse a presidenta Dilma Rousseff.

A ministra da Cultura, Marta Suplicy, e a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Jurema Machado, participaram da cerimônia, realizada nesta terça-feira, 20 de agosto, em São João del-Rei (MG).
A ministra Marta Suplicy destacou que “com o PAC Cidades Históricas, a gestão do Patrimônio Cultural ganha uma nova dimensão já que vai além da mera intervenção física nos monumentos protegidos uma vez que reforça o sentimento de pertencimento e de cidadania em relação aos símbolos de nossa cultura”.

Jurema Machado também comemora o anúncio ressaltando que “inserir o patrimônio no programa estratégico de desenvolvimento do governo e uma medida emblemática. Os investimentos – o maior volume já disponibilizado para o IPHAN em toda a sua trajetória – significam também mais vitalidade para os ambientes urbanos, tendo o patrimônio cultural como vetor de desenvolvimento”, conclui a presidenta do IPHAN.

Recuperação

O PAC Cidades Históricas, mais do que conservar imóveis tombados, privilegiará a recuperação de edificações destinadas a atividades que favoreçam a vitalidade dos sítios históricos. Entre as 425 obras, 115 serão em imóveis que abrigam equipamentos culturais, como teatros, cinemas e bibliotecas, além dos 39 que museus cujos edifícios também serão recuperados pelo Programa.

O sistema de fortificações do litoral brasileiro, valioso como patrimônio e como potencial turístico, será contemplado com nove das mais importantes fortalezas, entre elas a de Sao Marcelo, em Salvador (BA), a dos Reis Magos, em Natal (RN), e a de Nossa Senhora dos Remédios, em Fernando de Noronha (PE). Dando continuidade a uma estratégia que vem sendo adotada com sucesso pelo IPHAN para a dinamização das áreas tombadas, 11 edificações integrantes de campi de universidades públicas também estarão entre as restauradas.
 
O PAC Cidades Históricas dará especial ênfase ao patrimônio ferroviário, hoje sob tutela do IPHAN, com 24 obras que possibilitarão novos usos a estações e conjuntos ferroviários, como, por exemplo, os emblemáticos complexos de Paranapiacaba, em Santo André (SP), e de São João del-Rei (MG). Um vasto conjunto de igrejas tombadas, de valor artístico e cultural, também será preservado.
 
 
O modelo de desembolso do programa não prevê repasse integral às prefeituras, mas sim a liberação de recursos à medida em que as obras forem licitadas.
 
Os municípios selecionados nesta primeira etapa foram aqueles que preencheram uma ou mais das seguintes condições: possuir bens tombados em nível federal; ser declarados pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade; possuir conjuntos urbanos em situação de risco ao patrimônio edificado; ou serem conjuntos urbanos que constituam marcos no processo de ocupação do território nacional.
A proposta do PAC Cidades Históricas é buscar a recuperação e a revitalização das cidades, a restauração de monumentos protegidos, o desenvolvimento econômico e social e dar suporte às cadeias produtivas locais, com a promoção do patrimônio cultural.
 
Dilma destaca potencial econômico de cidades históricas
 
A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (20), na cidade histórica de São João Del Rei, em Minas Gerais, que tais municípios são uma “extraordinária” afirmação do Brasil e autoafirmação do povo brasileiro, além de terem grande potencial turístico e de geração de emprego e renda.
“Não tenho dúvida de que nossas cidades históricas são uma extraordinária afirmação do Brasil, uma extraordinária autoafirmação do povo brasileiro, chamariz para o turismo, para viagens culturais, gerando emprego e renda para a população e receitas para os municípios”, destacou a presidenta, ao anunciar o repasse de R$ 1,6 bilhão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Históricas até 2015. Dilma lembrou que o programa tem como objetivos a preservação histórica e a geração de riqueza.
 
Além de R$ 1,6 bilhão em investimentos, Dilma anunciou uma linha de crédito de R$ 300 milhões para financiar obras em imóveis particulares localizadas em 105 cidades com áreas tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).
 
“Sabemos que a beleza e a riqueza dos bens públicos são ampliados se a totalidade do sítio histórico for preservada, daí porque, junto com a preservação dos bens públicos, criaremos uma linha de financiamento para a recuperação de patrimônio privado de grande relevância cultural e histórica.”
 
Na lista do PAC Cidades Históricas, estão municípios como as capitais da Paraíba, do Maranhão e do Pará, João Pessoa, São Luís e Belém, São Miguel das Missões, no Rio Grande do Sul, Corumbá, em Mato Grosso do Sul,  São Luís do Paraitinga e Iguape em São Paulo. Segundo a prefeitura, São João Del Rei, a cidade escolhida para o anúncio dos recursos receberá R$ 550 mil para sinalização turística.
 
No discurso, Dilma ressaltou que o local da cerimônia não poderia ser mais adequado e mencionou os brasileiros ilustres nascidos na cidade: o ex-presidente Tancredo Neves, o escritor Otto Lara Resende, a beata Nhá Chica, filha e neta de escravos, e a poetisa Bárbara Heliodora, que recebeu o tratamento de heroína da Inconfidência. A presidenta lembrou que esteve em São João Del Rei no início da campanha presidencial. “Naquele momento, eu prometi que o Brasil teria um PAC das cidades históricas, e estou aqui para levar a cabo esse PAC.”