Ponto de Cultura “Caiçaras” promove o Festival Lagamar – Conexões Afroameríndias Litoral Sul

Entre os dias 19, 20 e 21 de abril acontecerá um rico encontro com os saberes e fazeres das culturas tradicionais dos povos do Lagamar nas cidades de Cananeia e Ilha Comprida, localizadas no *litoral sul* do Estado de São Paulo.

O encontro acontece no Boqueirão Sul da Ilha Comprida e é uma oportunidade única para ser celebrada a sabedoria ancestral dos povos que vivem no maior pedaço de Mata Atlântica do planeta através de roteiros de turismo de experiência e de uma programação artística e cultural composta por atividades gratuitas e pagas, com valores acessíveis a todas as pessoas.

Na parte de gastronomia, haverá opções alternativas de alimentação com empreendedores locais e valores variados e acessíveis a todos os públicos como a Gaia Alimentação: salgados e hambúrgueres veganos, lanche natural vegetariano, doces (haribol e brigadeiro) e sucos naturais da Mata Atlântica e o Restaurante Jura’s: de frente para o mar, som aconchegante, ambiente familiar, cardápio variado com peixes, carnes e frutos do mar, parceiros do encontro.

foto: Ponto de Cultura Caiçaras/Facebook reprodução

TURISMO DE EXPERIÊNCIA

Vivências e roteiros turísticos com um número mínimo de 10 pessoas dependendo do passeio. Transporte não incluso.

foto: Ponto de Cultura Caiçaras/Facebook reprodução

Observação de golfinhos, visita à Aldeia Guarani M’Bya Takuari-ty eSítios Bela Vista e Sabores da Roça (agrofloresta, roças caiçaras, criação de abelhas nativas s/ ferrão, produtos orgânicos, entre outros),Comunidade Quilombola do Mandira ,Comunidade Caiçara do Itacuruça e Pereirinha e às Cachoeiras do Pitu e do Mandira

Programação > Sexta, 19 de abril de 2019
10:00 – 12:00
Turismo de experiência: A conversa dos botos (passeio guiado p/ observação de botos na P. da Trincheira – Ilha Comprida)
12:30 – 14:00
Almoço caiçara no sítio da Família Cardoso
14:00 – 15:00
Roda de abertura: vivência de canto e dança com os Guaranis M’Bya da Tekoa Takuari-ty
14:00 – 18:00
Feira de produtos artesanais e comunitários da Mata Atlântica, que contará com produtos artesanais e/ou orgânicos oriundos de pequenos produtores e da agricultura familiar das cidades de Cananeia e de Ilha Comprida (SP).
15:00 – 17:00
Roda de prosa: Conexões Afroameríndias Litoral Sul – presenças do Mestre Lumumba e do Cacique Wera Poty
18:00
Cinema infantil
19:00 – 21:00
Roda de prosa: Negócios sociais em rede – ações colaborativas para vendas e trocas de produtos e serviços locais
21:00
Lançamento do aplicativo Guia Lagamar, Evento gratuito de lançamento do aplicativo de entretenimento turístico e cultural que pretende conectar pessoas a experiências únicas na região do Lagamar.

Mestre Lumumba/reprodução Facebook

Sábado, 20 de abril de 2019
08:00 – 12:00
Ecoturismo: Cachoeira do Pitu + Turismo de experiência: sítios Bela Vista e Sabores da Roça
12:30
Almoço quilombola no Restaubar – Ostra e Cataia
14:00 – 18:00
Turismo de experiência: Quilombo do Mandira + Ecoturismo: Cachoeira do Mandira
18:00
Cinema infantil
20:00
Música ao vivo, Em encontro na beira do mar entre a essência e a beleza da musicalidade indígena, caiçara e afro-brasileira e em meio aos encantos (e encantados) da Mata Atlântica
Fandango caiçara ,Mestre Lumumba (Reggae com raízes brasileiras e o culto dos orixás) e Nativos da Ilha (forró)
Programação Domingo, 21 de abril de 2019
10:00
Turismo de experiência: Comunidade Caiçara do Itacuruça (Ilha do Cardoso)
12:30
Almoço caiçara
15:00
Roda de despedida – Praia do Itacuruça e Pereirinha

foto : Ponto de Cultura Caiçaras/facebook reprodução

HOSPEDAGEM

Namastê – coworking, hospedagem, galeria de artes e eventos (Namastê Hospedagem, Galeria de Artes & Eventos).

Todas as Informações podem ser obtidas através dos fones e endereços virtuais :
(13) 98102-9918 (whatsapp)
contato@matimperere.com.br
https://www.facebook.com/matimperereturismo/
www.matimperere.com.br

foto: Ponto de Cultura Caiçaras/Facebook reprodução

Iguape/SP , quase 500 anos de história no Vale do Ribeira

foto: B. Bertagna

Oficialmente, Iguape foi fundada em 3 de dezembro de 1538. A data de fundação atual foi estabelecida em 1938, pelo então Prefeito, Manoel Honório Fortes. O Prefeito  incumbiu uma comissão de historiadores paulistas, presidida pelo ilustre Afonso d’Escragnolle Taunay, para estabelecerem a data provável da fundação, sendo aceito o dia 3 de dezembro de 1538, baseados em documentos históricos que usam como referência a data de separação de Iguape e Cananéia.

Igreja de São Benedito foto: B. Bertagna

Praça Engº Greenhalgh, também conhecida como Praça São Benedito, local aprazível onde se encontra a antiga Fonte da cidade. foto: B. Bertagna

É uma simpática cidade, cheia de histórias e causos contados por seus moradores, ideal para se aventurar no seu passado, em passeios românticos por suas ruas estreitas e para conhecer as festividades religiosas e culturais, como a Festa de Agosto, que já são tradição. Iguape conta com uma boa infra-estrutura de hotelaria, pousadas e restaurantes.

Primeira Casa de Fundição de ouro do Brasil, hoje Museu Municipal de Iguape foto: B.Bertagna

Com uma previsão de mais de R$ 10 milhões em investimentos, o Sobrado dos Toledos (orçado em R$ 5.298.773,27) e o Paço Municipal (R$ 5.607.919,470), dois importantes edifícios da cidade de Iguape (SP), começaram a ser restaurados a partir de julho de 2019. As obras pretendem restabelecer a infraestrutura e conservação dos espaços, significativos para a história e arquitetura do município, e estão sendo realizadas com recursos do PAC Cidades Históricas, programa do Governo Federal, e execução do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

prefeitura-iguape

foto: B. Bertagna. Paço Municipal em 2013

O sobrado que abriga o Paço Municipal foi construído na segunda metade do século XIX, pelo comendador Luis Álvares da Silva, homem mais rico e influente da região à época. Posteriormente, o prédio passou a sediar o Club Beneficente e Recreativo Iguapense e a Câmara Municipal, vindo a ser adquirido pela Prefeitura em 1945. Desde então, passou a funcionar como Paço Municipal.

Digitalizar0014

Arquivo Iphan

O Sobrado dos Toledos leva esse nome por ter sido residência de outro cidadão importante da região, José Carlos de Toledo. Construído na primeira metade do século XIX, durante o ciclo do arroz, o prédio foi doado pelos herdeiros, em 1931, ao Santuário de Iguape, para que abrigasse romeiros durante as festividades do Bom Jesus, época em que o edifício ficou conhecido como Sobrado do Santo. Depois disso, o prédio sediou diversos empreendimentos e, atualmente, encontra-se em ruínas, restando ainda as características originais das fachadas.

Os dois edifícios estão localizados na área do conjunto histórico de Iguape, tombada pelo Iphan. As duas intervenções se somam à restauração da Antiga Casa de Fundição, concluída em dezembro de 2015, com recursos de R$ 837 mil, também pelo PAC Cidades Históricas, representando um significativo investimento no Patrimônio Cultural da cidade.

IMG_20160718_123158[1]

foto: B. Bertagna

Vapor_Izabel_no_bairro_Jipovura_início_do_século_XX

Vapor Izabel, no Rio Ribeira de Iguape, na altura do bairro Jipovura, por volta de 1909. Arquivo Iphan/Dossiê Tombamento

A real data da fundação do município é desconhecida. Alguns historiadores chegam a acreditar que já havia europeus vivendo na região mesmo antes do descobrimento do Brasil por Pedro Álvares Cabral.

A tradicional Festa do Bom Jesus de Iguape, a Festa de Agosto, que atrai milhares de romeiros de todos os cantos do Brasil. Foto : Gazeta Caiçara/Rafael Peroni

Procissão de Nª Srª das Neves. padroeira de Iguape. foto; http://www.senhorbomjesusdeiguape.com.br

Remonta a 1577 a data em que o povoado foi elevado à categoria de freguesia, com o nome de Freguesia de Nossa Senhora das Neves da Vila de Iguape, quando foi aberto o primeiro livro do tombo da Igreja de Nossa Senhora das Neves, construída no local conhecido por Vila Velha, no sopé do morro chamado de Outeiro do Bacharel, defronte à Barra do Icapara.

ademar-de-barros

Arquivo Iphan

Não se sabe, ao certo, a data de elevação a vila, porém, acredita-se que tenha sido entre 1600 e 1614.

Altar mor da Basílica foto: B. Bertagna

Neste último ano, foi iniciada a construção da antiga Igreja Matriz, já no local atual, no centro urbano, após a mudança da então freguesia, ordenada pelo fidalgo português Eleodoro Ébano Pereira.

Vista dos imensos telhados e das torres da Igreja São Benedito, uma das mais antigas da cidade. foto: B. Bertagna

A Vila foi elevada a cidade pela Lei nº 17 de 3 de abril de 1848 com o nome de Bom Jesus da Ribeira, mas no ano seguinte, pela Lei nº 03 de 3 de maio de 1849, foi modificado o nome para Bom Jesus de Iguape.
Posteriormente, o costume popular simplificou-o para Iguape.

Hoje Iguape revela surpresas no plano do Patrimônio Imaterial como o tradicional Carnaval de Rua , com vários blocos organizados que circundam a praça da Basílica durante as folias de Momo e ainda preserva o Fandango Caiçara, com suas rabecas, seus bailados e tradições.

rabeca1

Arquivo Iphan

porto

Arquivo Iphan

Fundação: 3 de dezembro de 1538
Gentílico : iguapense
Lema: Virtvtes Pavlistarvm Retento
\\\”Detenho as Virtudes dos Paulistas\\\”

Arquivo Iphan – Giovani Sarkis

foto: B. Bertagna

Arquivo Iphan – Giovani Sarkis

Topônimo
A palavra Iguape tem origem na língua tupi e significa na enseada do rio, através da junção dos termos y(água, rio), kûá (enseada) e pe(em)

Antiga Fábrica da Matarazzo de processamento de peixe. foto: B. Bertagna

Romeiros recebem benção em frente à Basílica. foto: B.Bertagna

Arquivo Iphan – Giovani Sarkis

Arquivo Iphan fotos: Germano / junho de 1950

Imagem de Cristo no morro do Espia. foto: B. Bertagna

Como chegar :

De São Paulo/Santos:

Descer a BR 116, rodovia Régis Bittencourt ou a Padre Manuel da Nóbrega SP-55 e, após a cidade de Miracatu, entrar no Km 401, Rodovia Casemiro Teixeira SP-222 para Iguape, com distância aproximada total de 200 km.

Os ônibus da empresa ValleSul vindos de São Paulo saem do Terminal Barra Funda em 4 horários diários. Partindo de Santos/SP há um ônibus diário.

De Curitiba:

Seguir a BR 116 – Rodovia Régis Bittencourt Norte e, passando pela cidade de Jacupiranga, entrar no Km 464 para Pariquera-Açu/Iguape, na rodovia Ivo Zanella. Total aproximado de 250 km

De Curitiba, os ônibus saem da Estação Rodoferroviária e há um horário diário nos dois sentidos e 2 horários de sexta a segunda, cumpridos pela empresa Princesa dos Campos.

De Sorocaba:

Saindo de Sorocaba ou cidades vizinhas pegar a Rodovia SP-079 (Serra de Tapiraí) até Juquiá. Depois entrar na BR 116 Rodovia Régis Bittencourt Norte sentido São Paulo e, depois de 13 km, pegar a entrada de Iguape no Km 401, na Rodovia Total de 2 00 km.De Sorocaba a Iguape, há um horário regular realizado pela empresa São João

De Registro /SP os ônibus saem praticamente de hora em hora, fazendo conexão para cidades vizinhas como Cananéia, Pariquera-Açu, Jacupiranga, Eldorado, Iporanga, Miracatu, Juquiá,Cajati, Apiaí, etc.

Mar Pequeno visto do Morro do Espia foto : Luciano Faustino/Wikipédia

A cidade fica também a 5 km, por estrada asfaltada,  das praias atlânticas de Ilha Comprida. Além de uma bela paisagem, o Mar Pequeno proporciona ótimas pescarias.

foto: B. Bertagna

IMG_7109

foto: B. Bertagna

MAPA 2 D

Gente que vem … Jovens da Ilha

DSC00204

O movimento da cidade de Ilha Comprida “Jovens da Ilha”, supervisionado pelo prof. Fernando Caixeta esteve visitando a Casa do Patrimônio Vale do Ribeira nesta terça (29) , ocasião em que foi ministrada uma palestra de educação patrimonial.

ilha-jovem

Ilha Comprida, no Vale do Ribeira, tem extensa agenda de shows no verão

 

00001398_pagina_1__foto_2_o_rappa

Aberto oficialmente no reveillon 31/12, o Ilha Verão 2015 prossegue até o Carnaval com shows e diversas atrações gratuitas nos palcos da Praia do Boqueirão Norte e no Espaço Cultural Plínio Marcos. A entrada para os shows é franca. A promoção é do município de Ilha Comprida. Acompanhe a agenda de shows:

Janeiro

Sexta – 09/01 – 23 h – Preta Gil
Sábado – 10/01 – 23 h – Thiaguinho
Domingo – 11/01- 21 h – Arrocha Mamãe
Sexta – 16/01 – 23 h – Pitty
Sábado – 17/01 – 23h – Jads e Jadson
Domingo – 18/01 –21 h – Adoração e Vida
Sexta 23/01 –23 h – O Rappa
Sábado – 24/01 –23 h – Edson e Hudson
Domingo- 25/01 – 21 h – Max Henrique
Sexta 30/01 – 23 h – Thales Roberto
Sábado – 31/01 – 23 h – Arlindo Cruz

Fevereiro
Domingo – 01/02 – 21 h – Marcelo Vox
Sexta – 06/02 – 23 h – Ira
Sábado – 07/02- 23 h – Daniela Mercury
Domingo – 08/02- 21 h – Jeferson Luiz e Júnior

Ilha Verão Cultural 2015 “Essências”

Com shows de grandes artistas da música popular brasileira e três bandas estrangeiras, o Ilha Verão Cultural 2015 “Essências” começa nesta quinta 8/01, às 18 horas, no Espaço Cultural Plínio Marcos, e prossegue até o dia 8 de fevereiro. Com entrada franca, os shows acontecem de terça a domingo, às 21 horas, mas o Espaço abre ao público a partir das 18 horas com muitas atrações: a Feira Regional de Artesanato Resgatando o Vale, alta gastronomia, exposição fotográfica e oficinas culturais.
Em ambiente totalmente climatizado e estrutura física especial, o Ilha Verão Essências traduz o ritmo da temporada na Ilha com um misto de natureza, aroma, substância, ritmos, música e emoção. Diferente dos anos anteriores, a Feira Regional de Artesanato Resgatando o Vale acontece em recinto externo. No interior do Espaço Cultural, haverá uma viagem pela natureza na exposição ”Retratos e Relatos”, do fotógrafo Del Carlos.
Acompanhe a programação musical. Com entrada franca, os shows acontecem às 21 horas.

08/01 – Quinta – Luiza Possi
09/01 – Sexta – Fábio Peron
10/01 – Sábado – Lil Jimmy Reed (EUA)
11/01 – Domingo – Funk Como Le Gusta
13/01 – Terça – Grupo de Choro Janelas e Beirais
14/01 – Quarta – Tina Still
15/01 – Quinta – Urbana Legion
16/01 – Sexta – Pedro Mariano
17/01 – Sábado – Vasco Faé
18/01 – Domingo – Marina Lima
20/01 – Terça – Marquinhos Machado Quarteto
21/01 – Quarta – Karina Buhr (Cantando Secos e Molhados)
22/01 – Quinta – Fúlvio Oliveira e The Wild Blues Band
23/01 – Sexta – Hamilton de Holanda
24/01 – Sábado – The Bambi Molesters (Croácia)
25/01 – Domingo – MPB4
27/01 – Terça – Sampando
28/01 – Quarta – Packaw e a Nave – Tributo a Cazuza
29/01 – Quinta – Jelly Roll Boys – Argentina
30/01 – Sexta – Luciana Mello
31/01 – Sábado – Ana Cañas
01/02 – Domingo – Paula Lima
03/02 – Terça – João Sabiá
04/02 – Quarta – Netto Pio
05/02 – Quinta – Rosa Passos
06/02 – Sexta – Grooveria
07/02 – Sábado – Roda de Choro ( Luizinho 7 cordas)
08/02 – Domingo – Simoninha

Serviço – O Espaço Cultural Plínio Marcos está localizado na Av. São Paulo , 1000, no Balneário Adriana. Abertura ao público- 18 horas – Shows às 21 horas. Mais informações pelo telefone (13) 3842 2124. Acompanhe o Ilha Verão no www.ilhacomprida.sp.gov.br / no facebook cidadedeIlhacomprida e no facebook Ilha Verão.

Ilha Verão Cultural, no Vale do Ribeira, terá shows, gastronomia, cinema e teatro

Os shows e apresentações acontecem no Espaço Cultural “Plínio Marcos”, em Ilha Comprida, no Vale do Ribeira.  A abertura é dia 9 de janeiro, às 20 hs, com a XV Feira Regional de Artesanato tradicional “Resgatando o Vale” e Espaço Gastronômico com Festins com Chefs, Exposições de Artes Visuais, Cinema, Oficinas Culturais e Área de Recreação. O Período de visitação é  de 9 de janeiro a 02.02.2014, das 14h às 23h. Já as Oficinas Culturais acontecem de terça a sexta-feira das 15h as 17h30. Veja a seguir a agenda de shows:

09.01, Quinta-Feira 21h30 – Show com 14 Bis

10.01, Sexta-feira 21h – Show com Kenny Brown (EUA)

11.01, Sábado – 21h – Show com João Donato     ( Informe – Raul de Souza – que se apresentaria nessa data ,se recupera de uma cirurgia na perna e está impossibilitado de viajar de avião até completo restabelecimeto )

12.01, Domingo- 21h – Show com Quarteto Sentinela com a participação especial de Tavito

14.01, Terça-Feira 18h – Momento Literário – Tarde de Autografo com escritores da região 20h – Exibição de filme do Cinema Brasileiro 21h – Show com Toninho Cruz “Nas Cordas da Vida”

15.01, Quarta-feira 21h – Show com Blue Drop Quartet

16.01, Quinta-feira 21h – Show com Packaw e Nave “Tributo a Legião Urbana”

17.01, Sexta-feira 21h – Show com Lorenzo Thompson (EUA)

18.01, Sábado 21h – Show com Yamandu Costa

19.01, Domingo 21h – Show com Choronas

21.01, Terça-Feira 18h – Momento Literário – Tarde de Autógrafo com escritores da região 21h – Show com Janelas e Beirais

22.01, Quarta-feira 21h – Show Grupo Arismar do Espírito Santo Duo

23.01, Quinta-feira 21h – Show Kisser Clan

24.01, Sexta Blues 21h – Show  BicuDuCorvu Blues

25.01, Sábado Jazz 21h – Show  “Tributo a Trio Surdina”, com Ricardo Herz, Alessandro Penezzi e  Toninho Ferragutti

26.01, Domingo 21h – Show Bruna Caram

28.01, Terça-Feira 18h – Momento Literário – Tarde de Autógrafo com escritores da região 20h – Exibição de filme do Cinema Brasileiro 21h – Show com Choro Fino

29.01, Quarta-feira 21h – Show Grupo  Marquinhos Machado Quarteto

30.01, Quinta-feira 21h – Show com   Fernando Vidal Trio

31.01, Sexta-feira 21h – Show  Fulvio Oliveira & The Wild Blues Band

01.02, Sábado 21h – Show  com “Hermeto Pascoal e Grupo”

02.02, Domingo 21h – Show com “Beto Guedes”

14.02, Sexta-feira 20h – Abertura de Exposição de Artes Visuais Período de visitação de 15.02  a 06.03.2014, das 10h às 18h

Livros para conhecer melhor o Vale do Ribeira – As Minas de Ouro e a formação das Capitanias do Sul

img001

“Em foco estão um tempo longo (1593-1830) , uma boa parte do Brasil à margem das políticas oficiais da Coroa Portuguesa e da economia de exportação vinculada à mão de obra africana, as Capitanias do Sul até muito recentemente consideradas pobres e periféricas, um vasto território relacionado à mineração, um sistema urbano que incluía metade dos núcleos do Brasil em fins do século XVII, a marginalidade historiográfica do objeto de estudo, a inédita metodologia de pesquisa. Nas linhas e entrelinhas de um discurso teórico profundo revelam-se camadas de tempos pregressos, até então inexplorados sob este ponto de vista .” Beatriz Piccolotto Siqueira Bueno , sobre a obra de Nestor Goulart Reis.

Leitura recomendada > Este livro faz parte do acervo da Casa do Patrimônio do Vale do Ribeira. 

Neste fim de semana tem o 1º FLI – Festival Literário de Iguape

Com o objetivo de promover o livro enquanto fonte de difusão cultural e estimular a produção literária da região do Vale do Ribeira, a Oficina Cultural Gerson de Abreu realiza, de 17 e 20 de outubro, o 1º Festival Literário de Iguape.

O evento conta com uma programação gratuita de workshops, palestras, feira de livros, contação de histórias, exposição e shows. Entre as atrações, a exposição Panorama Ibero-Americano da Publicação Independente, onde será possível conhecer um pouco da produção de quadrinhos do Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Cuba, Espanha, México, Portugal e Venezuela.

Com a palestra A curiosidade matou o gato. Mas o gato não tem sete vidas?, o jornalista Marcelo Duarte, criador da série “O Guia dos Curiosos”, falará da importância do estímulo à curiosidade e sobre como usá-la de modo criativo nos negócios.

Representando a literatura da região, estará presente o poeta Marcelo Plácido lançando seu livro Porém Efervescente, o escritor Oswaldo de Souza com seu Sete Contos Quase Verdadeiros, além de Nestor Rocha, com Do Brilho ao Opaco, entre outros autores.

Outro destaque da programação é o show de Marina de la Riva. A cantora interpretará canções do álbum Idílio (2012), que reúne sucessos de Vinicius de Moraes, Luiz Gonzaga e o cubano Frank Dominguez. A cantora Tiê também dará o ar da graça apresentando seu último álbum, A Coruja e o Coração (2011), que teve participação de Jorge Drexler, Marcelo Jeneci e Hélio Flanders.

E, em ocasião do centenário de Vinicius de Moraes, o Festival recebe o show História de Canções, idealizado por Wagner Homem. Acompanhado por músicos que executam as canções de autoria do poeta, o jornalista conta as histórias relacionadas à criação das composições.

Programação:

17 de outubro a 14 novembro
Exposição: Panorama Íbero-Americano da Publicação Independente
Curadoria: Douglas Utescher e Daniela Utescher

17 de outubro
16h – Contação de História: Histórias de reis e versos cantados
Com Ivy de Lima

18h – Workshop: Contação de histórias com objetos do cotidiano
Com Ivy de Lima

19h – Bate-papo: O papel do ficcionista como construtor de identidades sociais e sua responsabilidade histórica
Com Benedito Machado e Roberto Fortes

21h – Show: Histórias de Canções: Vinícius de Moraes
Com Wagner Homem

18 de outubro
9h – Contação de história: Conversa ribeirinha
Com Antonio Lara e Júlio Costa

11h – Palestra: A Formação do Escritor
Com Reynaldo Damazio

14h – Contação de História: Conversa ribeirinha
Com Antonio Lara e Júlio Costa

16h – Palestra: Uma viagem pelos gêneros literários
Com Ecilla Bezerra

18h – Contação de História: Conversa ribeirinha
Com Antonio Lara e Júlio Costa

20h – Palestra: Literatura não é entretenimento
Com Menalton Braff

21h30 – Show: Fulvio Oliveira & The Wild Blues Band

23h – Show: Tiê

19 de outubro
10h – Workshop: Histórias em Quadrinhos
Com Paulo Crumbim e Cris Eiko

13h – Workshop: Encadernação artesanal
Com Rodrigo Okuyama

17h – Palestra: Publicação Independente
Com Douglas Utescher

20h – Palestra: A curiosidade matou o gato. Mas o gato não tem sete vidas?
Com Marcelo Duarte

21h30 – Show: Packaw e a Nave

23h – Show: Marina de la Riva

20 de outubro
11h – Workshop: Criação e manipulação de bonecos de luva
Com Cia Articularte

16h – Teatro: O valente filho da burra
Com Cia Articularte

13h-16h – Lançamento de livros e tarde de autógrafos:

Ecologicamente Ilhamos e Geane
De Osvaldo Matsuda

Porém Efervescente
De Marcelo Plácido

A Trilha da Suçuarana
De Miguel Cassemiro

Sete Contos… Quase Verdadeiros
De Oswaldo de Souza

Confissões de um Pecador
De Rodrigo Ladeira

Do Brilho ao Opaco
De Nestor Rocha