Casa do Patrimônio Vale do Ribeira faz parte do Conselho Municipal de Turismo de Iguape

comtur

A Casa do Patrimônio Vale do Ribeira , uma iniciativa da Superintendência do IPHAN em São Paulo em conjunto com a Prefeitura de Iguape vem promovendo atividades de educação patrimonial e participando ininterruptamente desde 2010 do cenário cultural , histórico e ambiental da cidade.

Na primeira reunião ordinária do Comtur (Conselho Municipal de Turismo) de Iguape , mais uma vez a Casa do Patrimônio foi nomeada para fazer parte do Conselho na gestão 2017/2018.

A missão do Conselho é consolidar parcerias e proporcionar, através de suas ações, o envolvimento e o comprometimento dos mais variados setores sócio-econômicos do município no fomento da atividade turística , sendo uma uma instância de planejamento participativo nas gestões locais,  constituído como um fórum deliberativo no tema .

Anúncios

Exposição da fotógrafa Nair Benedicto é atração em Iguape / SP

A exposição Fé Menina apresenta um retrato da mulher brasileira através de fotos coloridas e em preto e branco. Desde a década de 70, a coletânea mostra a realidade feminina em diferentes situações: prisão, passeatas, aldeias indígenas e no carnaval.

Escolhendo dar voz às minorias, violência contra a mulher, o homossexual, o menor de rua e o índio são presentes nas imagens.  Nos seus 43 anos de profissão, Nair Benedicto tem em sua obra um viés político que integra os acervos dos museus de arte moderna do Rio de Janeiro (MAM) e de Nova York (MoMa), entre outros.

A exposição que tem a curadoria de Egberto Nogueira, diretor da Imã Foto Galeria.

A fotógrafa formada em rádio e televisão pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, em 1972. Começou sua carreira em São Paulo como realizadora de audiovisuais e fotógrafa freelancer do Jornal da Tarde. Desde então, fundou uma agência de fotojornalismo com Juca Martins, Delfim Martins e Ricardo Malta, colabora com revistas internacionais e é envolvida com ativismo político. Foi delegada da Unicef em 1988 e 1989, depois de ter se engajado na militância durante a ditadura, ser presa e torturada. Organiza exposições, cursos e palestras em diversos estados pela agência N-Imagens, que também fundou.

“Acredito no poder transformador da fotografia. Por meio dela, procuro chamar a atenção para questões que considero relevantes para a sociedade”, afirma Benedicto.

Entre suas premiações, destaca-se o 11º Prêmio Abril de Fotojornalismo, em 1985. É autora dos livros A Greve do ABC (1980), A Questão do Menor (1980) em parceria com Juca Martins, e As Melhores Fotos de Nair Benedicto (1988), entre outros.

Acompanhando a abertura da exposição, os músicos Rafael Gato e Raul Correa se apresentam. Iguapenses com mais de 10 anos de carreira, tocam uma música inovadora sem deixar a essência da música popular brasileira de lado.

A exposição, que tem a curadoria de Egberto Nogueira, diretor da Imã Foto Galeria é uma realização da Prefeitura Municipal de Iguape em parceria com a Casa do Patrimônio Vale do Ribeira e Iphan – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional , que em 2017 comemora os seus 80 anos de criação.

Serviço:

Exposição fotográfica “Fé Menina”
Nair Benedicto
Local: Museu Histórico de Iguape – Rua das Neves, 45, Centro Histórico
Abertura: 27/01, às 21h30. Na ocasião acontecerá apresentação dos músicas iguapenses Rafael Gato & Raul Correia
Visitação: 28/01 a 28/02, das 12h às 20h

Gente que vem… Emef Ver. Kesao Kasuga , de Registro/SP

eme

foto: Valéria Gazafi

Alunos do ensino fundamental e os professores da EMEF Ver. Kesao Kasuga , profª Sheila Carvalho, Profª Eva Ferreira e Felipe Valdoski visitaram a Casa do Patrimônio Vale do Ribeira, em Iguape, nesta terça (27). Na ocasião receberam informações sobre o patrimônio histórico tombado de Iguape bem como de suas manifestações de caráter imaterial. Também foi explicado o funcionamento das licenças para restaurações e pinturas das casas da cidade. Sejam bem vindos !

Gente que vem… Liceu Terras do Engenho, de Piracicaba/SP

img_6830

Os alunos do 7º e 8º ano , monitores e professores do Liceu Terras do Engenho, de Piracicaba/SP estiveram visitando a Casa do Patrimônio Vale do Ribeira.  Na ocasião, foi realizada uma roda de conversa informal com cerca de 35 alunos sobre a ocupação da região caiçara, aspectos da atuação do Iphan em relação ao patrimônio material e imaterial e a história de Iguape. Nosso obrigado aos monitores e professores Keli , Ricardo, Sandra e Chileno. Sejam bem vindos !

img_6840

Gente que vem… Produtores culturais de Iporanga/SP

DSC00277

Esteve visitando a Casa do Patrimônio Vale do Ribeira nesta segunda-feira (9/11) um grupo de produtores culturais e ambientalistas do tradicional Bairro do Ribeirão, de Iporanga/SP. Ciceroneado pelo artista e músico Antônio Lara Mendes, o grupo participou de uma pequena reunião,  em que foram discutidas, de maneira informal, as dificuldades e perspectivas do patrimônio cultural material e imaterial daquela cidade bem como a atuação da Casa do Patrimônio. Sejam bem vindos a Iguape !

Curso de Turismo da ETEC de Iguape visita a Casa do Patrimônio Vale do Ribeira

Nesta segunda-feira, 19/10, os alunos do Curso Técnico de Turismo da ETEC , coordenados pela Profª Cássia Massa visitaram a Casa do Patrimônio Vale do Ribeira, ocasião em que participaram de uma palestra de Educação Patrimonial.

Conhecida na Região do Vale do Ribeira como o “Colégio Agrícola de Iguape“, a ETEC Enhenheiro Agrônomo Narciso de Medeiros exibe beleza natural, integração com o meio ambiente e qualidade de ensino. Instalada em 1971, ofereceu sua única Habilitação Técnica em Agropecuária até 1998. A partir de 1999, foram implantados os cursos Técnicos de Agricultura, Turismo, Meio Ambiente e Florestal.

Em 2003 foi implantado o curso de Hotelaria e recentemente em 2007 foi implantado o curso técnico em Informática, definindo, assim, sua missão de firmar-se como um centro gerador, capacitador e difusor de tecnologias ambientais e formador de técnicos capazes de operacionalizar mudanças no Vale do Ribeira.

Possui uma área de 53 alqueires, rica em recursos naturais, (80% de sua área), inserida na APA CIP (Cananéia, Iguape, Peruíbe) Área de Proteção Ambiental.

Casa do Patrimônio promove palestra de Educação Patrimonial para turma da 3ª Idade de Cajati / SP

Nesta sexta, 9 , a Casa do Patrimônio Vale do Ribeira , situada em Iguape/SP recebeu uma expressiva turma da 3ª idade da cidade de Cajati / SP , também situada no Vale. Uma palestra de Educação Patrimonial e História Regional foi ministrada para uma turma atenta e interessada em detalhes do patrimônio cultural iguapense e do Vale do Ribeira.

Gente que vem … Jovens da Ilha

DSC00204

O movimento da cidade de Ilha Comprida “Jovens da Ilha”, supervisionado pelo prof. Fernando Caixeta esteve visitando a Casa do Patrimônio Vale do Ribeira nesta terça (29) , ocasião em que foi ministrada uma palestra de educação patrimonial.

ilha-jovem

Gente que vem… fandangueiros

IMG_6424

IMG_6423

Participantes da Reunião de Salvaguarda do Fandango Caiçara , ocorrida na Casa do Patrimônio Vale do Ribeira em Iguape/SP.  A Casa do Patrimônio Vale do Ribeira é uma iniciativa da Superintendência do IPHAN em São Paulo em conjunto com a Prefeitura de Iguape.  Nasceu de um desejo em comum: aproximar o trabalho de proteção do patrimônio cultural daqueles que são seus primeiros interessados, as populações locais. Compartilhamos a idéia de que o patrimônio é uma construção social que deve refletir a forma como as comunidades enxergam e concebem a sua própria história.

Clique nas fotos para ampliar.

Gente que vem… Escola Waldorf Moara / DF

escola brasilia

Esta semana a Casa do Patrimônio Vale do Ribeira recebeu alunos da Escola Waldorf Moara, de Brasília/DF que assistiram uma bela palestra de educação patrimonial , ressaltando os aspectos históricos, da cultura caiçara, do patrimônio material edificado e do patrimônio imaterial de Iguape e de todo o Vale do Ribeira.

Valeu !

iguape placa

Educação Patrimonial para as crianças da SABRO na Casa do Patrimônio

SABRA

Alunos da SABROSociedade de Amigos do Bairro do Rocio, da cidade de Iguape/SP acompanhados pela Professora Simone Silva, estiveram com seu primeiro grupo de alunos visitando a Casa do Patrimônio Vale do Ribeira, onde assistiram uma palestra de Educação Patrimonial .

Exposição fotográfica de Henrique Pellerin continua na Casa do Patrimônio Vale do Ribeira

Cartaz

O artista iguapense de 23 anos Henrique Pellerin possui formação profissional em Artes Visuais pelo “Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo”, participou de diversas oficinas voltadas para as áreas de fotografia e artes.

Seu interesse em fotografia surgiu em 2010 quando começou a estudar Artes Visuais, daí por diante decidiu se especializar nesta área e utilizar a fotografia como meio de criação e expressão artística.

Henrique Pellerin participou de diversos projetos, entre eles se destacam o “Projeto Fotografe SP” de 2011, coordenado pelo fotógrafo Elias Gomes, quando dentro do festival Revelando São Paulo apaixonou-se pela Cultura Tradicional Paulista.

IMG_0759

Em 2012, foi convidado pelos Artistas Raurício Barbosa e Diego Dionísio para fazer parte do “Projeto Iguape In-Concretus”, onde por meio da parceria entre a Prefeitura Municipal de Iguape e o IPHAN, através da Casa do Patrimônio Vale do Ribeira, realizou-se a exposição fotográfica “Patrimônio Vivo”.

Hoje Henrique faz parte da “Residência Artística Vale do Ribeira” que é coordenada pelo Artista Visual Fernando Caixeta.

No final de 2011 com o trabalho “Carnavalidades” foi premiado no Salão de Artes Visuais da Universidade Estácio Radial. Neste ano (2015) está representando o Município de Ilha Comprida no “Mapa Cultural Paulista”, na categoria Fotografia com o trabalho “A Rainha” de 2012.

A exposição “Olhares ao Bom Jesus” fica em cartaz na Casa do Patrimônio Vale do Ribeira até 31 de agosto.

A Casa do Patrimônio Vale do Ribeira é uma iniciativa da Superintendência do IPHAN em São Paulo em conjunto com a Prefeitura de Iguape.

Serviço:

Exposição Fotográfica “Olhares ao Bom Jesus
Artista: Henrique Pellerin
Curadoria: Myrian Teresa F. Veiga Signorini
Início: 27/julho\2015 – segunda-feira
Horário: 9:00 às 12:00 / 14:00 às 18:00
Local: Casa do Patrimônio Vale do Ribeira. Rua 15 de Novembro 218– Iguape/SP.
Site: www.henriquepellerin.46graus.com e www.facebook.com/hpellerinfotografia

Logo- H Pellerin

Henrique Pellerin , dia 27 de julho, na Casa do Patrimônio

10726624_712579155490866_1804545493_n - Copia

Gente que vem … Mauro Miyashita

mauro

O arquiteto Mauro Miyashita , do Condephaat ( Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Arqueológico, Artístico e Turístico) do Estado de São Paulo esteve na Casa do Patrimônio Vale do Ribeira nesta semana.

Na pauta, reuniões com os técnicos do Iphan em Iguape para estabelecimento de  ações conjuntas de fiscalização visando preservar o patrimônio tombado da cidade, principalmente o seu Centro Histórico.

Roda de Conversa sobre Fandango acontece na Casa do Patrimônio Vale do Ribeira

fandango-1

foto:B.Bertagna

O violeiro começa a cantoria e em seguida os dançadores seguem o ritmo marcado pela batida dos pés e mãos…

O ritmo é alegre e contagiante,

É o Fandango Paulista ! Manifestação cultural de forte presença no Vale do Ribeira e que integra a Mostra Revelando São Paulo. A rabecas, feitas de caixeta, madeira nativa, acompanham o bailado do palmeado com sua sonoridade singular.

Na Roda de Conversa os Fandangueiros mostram suas vivências, que são aprendidas e transmitidas com a convivência de gerações distintas. Durante o diálogo, os mestres falam da beleza da dança e como ela se tornou tradicional nos litorais sul e norte, bem como no interior Sul de São Paulo.

Muitas cidades o têm como um elemento identitário de sua história.

Pode ser de Tamancos ou Chilenas, como é o caso da região do Vale do Ribeira.

Na Roda de Conversa realizada nesta sexta-feira à tarde houve a predominância de jovens fandangueiros que já começam a sua carreira, trocando experiências com os mais antigos caiçaras, e integrando-se nesta manifestação folclórica das mais ricas de São Paulo.

Gente que vem…

0001-Rev

Na Casa do Patrimônio Vale do Ribeira , em Iguape/SP preparando a produção do XII Revelando São Paulo / Vale do Ribeira o Presidente da Comissão Paulista de Folclore , Diego Dionisio e as jornalistas Priscila Freitas e Kelly Santos.

Casa do Patrimônio Vale do Ribeira realiza “Trilha da Memória” com alunos da Escola Waldorf , em Iguape/SP

DSC07293

A Escola Waldorf usa um método diferenciado de ensino oriundo da Alemanha.

Seus alunos tem em sua formação, Poesia, Meio-Ambiente, Botânica e Canto Coral. A Casa do Patrimônio Vale do Ribeira os recebeu para um completo estudo do meio.

Neste fim de semana estiveram presentes 25 alunos acompanhados de 3 professores, coordenados pelo Prof. Mathias Muibad .

De bicicleta seguiram de Pedro de Toledo pela Estrada Municipal do Despraiado, chegando em Iguape na noite de sábado.No domingo depois de uma palestra na Casa do Patrimônio os alunos e professores foram fazer a Trilha da Memória , tratando de aspectos do patrimônio histórico e cultural de Iguape,

Após, na Basílica do Bom Jesus de Iguape se explicou sobre o achado da Imagem, sua construção e arte sacra. Para surpresa de todos presentes os alunos entraram em formação no Altar Mor e cantaram várias músicas em Latim, Italiano e Alemão em forma de agradecimento que encantou aos turistas e fiéis que estavam em visita ao Santuário , arrancando aplausos de todos.

200 alunos de Ilha Comprida fazem “Trilha da Memória” em Iguape/SP

trilha da memóriaCerca de 200 alunos , acompanhados pela  Diretora, professores e coordenadores da Escola Municipal Meu Recanto da cidade de Ilha Comprida participaram do projeto “Trilha da Memória” , com visitas monitoradas que estimulam o sentimento de pertencimento do Patrimônio Cultural Histórico.

Na foto, com os alunos,  a diretora da Casa do Patrimônio Vale do Ribeira  Myrian Teresa em frente à Antiga Casa de Fundição de Ouro , situada em Iguape/SP,  e que passa por um processo de restauração através do Programa PAC Cidades Históricas.

Superintendência do Iphan em São Paulo realiza palestra sobre “minkas” no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de SP – campus Registro

O arquiteto Victor Hugo Mori proferiu palestra sobre as construções rurais japonesas no Vale do Ribeira  foto : B. Bertagna

O arquiteto Victor Hugo Mori proferiu palestra sobre as construções rurais japonesas no Vale do Ribeira                         foto : B. Bertagna

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia  – IFSP Campus Registro recebeu no final de outubro a apresentação da palestra do arquiteto Victor Hugo Mori, da Superintendência do Iphan em São Paulo, sobre as construções rurais japonesas, as “minkas“, ainda remanescentes dos primórdios da colonização japonesa no Brasil e que se situam no Vale do Ribeira, mais especificamente em Registro.  A palestra teve a abertura da arquiteta Anna Beatriz Ayroza Galvão, Superintendente do Iphan em São Paulo e foi assistida por alunos dos cursos regulares de mecatrônica, logística e edificações do IFSP. Na ocasião também foram feitos contatos entre a Casa do Patrimônio Vale do Ribeira com a diretoria do IFSP – Campus Registro para estreitar o intercâmbio na área do Patrimônio Cultural entre as duas entidades.

Veja aqui o conteúdo completo em PDF das apresentações>>>  MINKA 1 e MINKA 2

PAC Cidades Históricas 2 : Projeto de restauração do “Paço Municipal” em Iguape/SP é apresentado a prefeito, funcionários e sociedade

Este slideshow necessita de JavaScript.

O projeto de restauração do “Paço Municipal” ( Prédio da Prefeitura de Iguape/SP) foi divulgado em apresentação que reuniu na Casa do Patrimônio Vale do Ribeira o prefeito municipal Tony Ribeiro, a Superintendente do Iphan em São Paulo, Anna Beatriz Ayroza Galvão, Secretários, Diretores de Departamento e demais funcionários da casa. Na ocasião, foi exposta a proposta de readequação das salas e divisões, além da correção de patologias existentes no prédio .

A partir de agora a Superintendência do Iphan em São Paulo iniciará os procedimentos para a licitação da obra em si , que está incluída no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC Cidades Históricas 2), um projeto do Governo Federal através do Ministério da Cultura e IPHAN. O valor previsto para a obra gira em torno de R$ 3 milhões .

Situado na esquina das ruas 9 de julho e 15 de Novembro ( que antigamente se chamavam Rua Direita e Rua da Glória, respectivamente) o prédio foi construído entre 1865 e 1866.  Era ocupado na sua parte térrea com os negócios e o escritório do Comendador e seu andar superior servia de residência para a família. Foi sede do Club Beneficente e Recreativo Iguapense e da Câmara Municipal. Em 1945 foi adquirido pela Prefeitura passando a ser , até os dias de hoje,  o Paço Municipal.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Iguape/SP recebe a exposição fotográfica “Jongo no Sudeste” na Casa do Patrimônio

RJM_1024_Foto_Reinaldo_Meneguim+Jongo_do_Sudeste+Comunidade_Jongueira_Dito_Ribeiro+Campinas

Iguape, cidade situada no Vale do rio Ribeira, no litoral sul paulista a cerca de 200 km da capital São Paulo,  recebe a partir de hoje (9) , a exposição fotográfica “Jongo no Sudeste”. São 50 imagens que mostram as rodas, danças e o bater dos tambores da forma de expressão.

As imagens foram feitas pelo fotógrafo Reinaldo Meneguim nos municípios de Guaratinguetá, São José dos Campos, Campinas e Piquete no período de janeiro a fevereiro de 2013. O evento é uma iniciativa do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) através da Casa do Patrimônio Vale do Ribeira.

A exposição fotográfica é o resultado do trabalho realizado entre os detentores do saber e o IPHAN dentro das ações que são desenvolvidas no estado de São Paulo.

O Jongo é uma forma de expressão afro-brasileira que integra percussão de tambores, dança coletiva e práticas de magia. É realizado nos quintais das periferias urbanas e em algumas comunidades rurais. Acontece em festas juninas, Festas do Divino, celebrações de santos católicos e divindades afro-brasileiras e nos dias 13 de maio para lembrar a abolição da escravatura.

É uma forma de louvar os antepassados, consolidar as tradições e afirmar identidades. Tem suas raízes nos saberes, ritos e crenças dos povos africanos, principalmente os de língua Bantu.

No Brasil, o Jongo passou a ser praticado entre os escravos que trabalhavam nas lavouras de café e cana-de-açúcar, no sudeste brasileiro, principalmente no vale do Rio Paraíba. É uma forma de comunicação desenvolvida durante a escravidão. Serviu também como estratégia de sobrevivência e circulação de informações codificadas de fatos acontecidos entre os antigos escravos.

O Jongo sempre esteve em uma dimensão marginal, onde os negros falam de si e da sua comunidade, através da crônica e da linguagem cifrada. É também conhecido pelos nomes de tambu, batuque, tambor e caxambu, dependendo da comunidade que o pratica.

O Jongo do Sudeste foi reconhecido como Patrimônio Cultural Brasileiro em 2005, dentro da categoria de Patrimônio Imaterial e abrange comunidades nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo.

Em São Paulo, foram contemplados por ações de salvaguarda do IPHAN os grupos: Jongo de Quilombolas e Jongo do Tamandaré do município de Guaratinguetá, Jongo de Piquete do município de Piquete, Jongo Mistura da Raça do município de São José dos Campos e Jongo Dito Ribeiro do município de Campinas.

Serviço:
Exposição fotográfica Jongo no Sudeste – SP
Local: Casa do Patrimônio Vale do Ribeira
Endereço : Rua 15 de Novembro 218 – Centro Histórico – Iguape/SP
Período: 9 de outubro a 8 de novembro

jongo3

Reunião técnica do IPHAN em Iguape/SP apresenta projeto de restauração do “Sobrado dos Toledos” à Mitra Diocesana

a-reunião
Uma reunião técnica promovida pela Superintendência do Iphan em São Paulo, ocorrida na Casa do Patrimônio Vale do Ribeira, em Iguape/SP apresentou para os representantes da Mitra Diocesana de Registro, e técnicos da Superintendência  o projeto de restauração e novo uso do prédio “Sobrado dos Toledos” , de propriedade da Igreja Católica .
A apresentação ficou a cargo da arquiteta Milena Migoto, coordenadora do projeto de restauro desenvolvido pela empresa Atempo Preservação e Restauro , vencedora da licitação. ” O maior desafio foi associar as necessidades de restauração ao novo uso do imóvel e transformá-lo em um espaço multiuso abrigando desde o atendimento aos romeiros durante os festejos a Bom Jesus de Iguape, a palestras e eventos culturais durante o restante do ano” – disse Migoto.
Para a Superintendente do Iphan em São Paulo, arquiteta Anna Beatriz Ayroza Galvão ” o projeto do Sobrado dos Toledos é mais um presente que o Ministério da Cultura, através do Iphan em São Paulo oferece à nossa querida Iguape. Representa um passo decisivo para que se iniciem as tão esperadas obras de restauração dessa casa, desse marco monumental da cidade “
fellipe
Segundo o advogado Fellipe Fortes, representante da Mitra Diocesana em todas as tratativas envolvendo a recuperação do prédio, ““a restauração do Sobrado dos Toledos, não representa apenas a preservação do Patrimônio Histórico, mas também um passo ao futuro com a criação da “Casa do Romeiro”, cujo fim é acolher os devotos do Bom Jesus”
Para o Pe. Jaime Marcelo Maria Gato, ” é um sonho se realizando. Hoje participei da apresentação do projeto do Prédio do Toledo conhecido em Iguape como Prédio do Santo, só tenho em agradecer ao Ministério da Cultura e o IPHAN de São Paulo, junto com a Paróquia de N. Sra das Neves de Iguape, pelo grande presente que estarão dando a toda população Iguapense, a restauração do prédio do Santo, tornando assim um sonho realizado para todos nós e principalmente para a historia viva de nossa querida cidade a Princesa do Litoral (Iguape). “

Este slideshow necessita de JavaScript.

O  prédio foi construído na primeira metade do século XIX por José Carlos de Toledo, um dos homens mais ricos do seu tempo, mas que morreu empobrecido. Após, foi confiscado pela Justiça e em 1879, os herdeiros adquiriram o sobrado do Juízo Municipal de Iguape.  Em 1931, devotos do Bom Jesus, os herdeiros doaram o prédio ao Santuário de Iguape para que abrigasse romeiros pobres durante as festividades do padroeiro, que hoje é conhecida como a segunda maior festa religiosa do estado de São Paulo. Nesta época o prédio era conhecido como “Sobrado do Santo”. Depois de alguns anos, foi dividido e alugado a diversos empreendimentos locais, como clubes, bares, associações e até um cine teatro.

Workshop de uso da cal desvenda mitos sobre suas aplicações, em Iguape/SP

Este slideshow necessita de JavaScript.

Uma oficina diferente foi realizada nesta quinta (25) na Casa do Patrimônio Vale do Ribeira, em Iguape/SP.

De forma simples e prática, os trabalhos começaram com a apresentação do monitor Adriano Augusto Rocha, do Estúdio Sarasá que respondeu a diversos questionamentos dos participantes relativos ao dia-a-dia de quem usa a técnica da pintura a cal.

Após, o restaurador e conservador  Antonio L. S. Martin , o Toninho Sarasá brindou a heterogênea platéia composta por arquitetos, engenheiros, mestre-de-obras, pedreiros, pintores, artistas plásticos, músicos e professores com um show de conhecimento técnico onde desvendou as propriedades físicas e químicas da cal e a história do seu uso.

A seguir, os participantes seguiram para a Igreja de São Benedito, que já tinha a sua parede do fundo preparada para que individualmente fosse testada uma paleta de cores, bem como, as técnicas de proporção e mistura da cal com os corantes, exemplos de sua empregabilidade, processos de tratamento e “cura” .

Foi então demonstrada como a cal pode e deve ser usada efetivamente nas alvenarias históricas e em outros usos na região, por suas características , como alternativa de fácil aplicação, ótimo acabamento e relação custo-benefício, por garantir a “respiração” das paredes, além de ser usada em áreas sujeitas à elevada umidade.

Por ser um produto alcalino, a cal também exerce ação no combate a fungos, germes e bactérias, o que ameniza a formação de manchas causadas por infiltrações e a deterioração precoce dos revestimentos.

A Igreja de São Benedito,nos próximos dias,  será integralmente pintada na sua parte de alvenaria com a técnica explicada na oficina , valorizando ainda mais o patrimônio cultural de Iguape.

DSC00200 (2)

O restaurador e conservador Toninho Sarasá explica minuciosamente a técnica para os participantes da Oficina. foto: B. Bertagna

> Veja aqui em PDF , a Apresentação Completa na Casa do Patrimônio Vale do Ribeira – 25 Setembro 2014

> Leia também > E já que o assunto é o uso da cal…

Oficina de Implementação da Casa do Patrimônio do Vale do Paraíba encerra com sucesso em São Luiz do Paraitinga/SP

Nos dias 15 e 16 de setembro de 2014 aconteceu a Oficina de Implementação da Casa do Patrimônio do Vale do Paraíba em São Luiz do Paraitinga-SP. Esta oficina teve como objetivo construir de forma coletiva as diretrizes e o cronograma de trabalho da Casa do Patrimônio para o seu primeiro ano de atuação, pretendendo se constituir enquanto articuladora de ações educativas, exercendo papel fundamental para a gestão compartilhada de preservação do patrimônio cultural.

Conduzida pela Coordenadora Nacional de Educação Patrimonial do IPHAN,  Sônia Florêncio, no primeiro dia foram apresentadas as bases conceituais sobre Educação Patrimonial e do projeto “Casa do Patrimônio”, além de ações consideradas inspiradoras desenvolvidas por outras Casas.

No segundo dia os participantes foram chamados a formar um grande grupo de trabalho, que teve por objetivo construir coletivamente o projeto e o programa de ações, firmando assim um compromisso entre suas instituições e a Casa do Patrimônio. Este dia terminou com a assinatura do termo de cooperação entre o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e a Prefeitura Municipal de São Luiz do Paraitinga para a inauguração oficial da Casa do Patrimônio do Vale do Paraíba.

Instituições participantes: Assessoria Municipal de Educação de São Luiz do Paraitinga , Departamento Municipal de Cultura de São Luiz do Paraitinga , Departamento Municipal de Turismo de São Luiz do Paraitinga , Câmara Municipal de São Luiz do Paraitinga ,Escola Estadual Monsenhor Ignácio Gióia ,Conselho Municipal de Patrimônio de São Luiz do Paraitinga , Conselho Municipal de Educação de São Luiz do Paraitinga ,Conselho Municipal de Turismo de São Luiz do Paraitinga ,Conselho Municipal de Patrimônio de Taubaté , Diocese de Taubaté , Associação para a Cultura, Cidadania e Meio Ambiente , Associação Comercial e Industrial de São Luiz do Paraitinga , Associação de Blocos de Carnaval de São Luiz do Paraitinga , Associação de Observadores do Saci , Ponto de Cultura Fazenda São Luiz , Pontão de Cultura , Ponto de Cultura Céu do meu sonho ,CULTA – Ações Culturais ,Paraitinga Turismo , Saoluizdoparaiting.info , Pousada Sertão das Cotias , Instituto Elpídio dos Santos , Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional , Rede Paulista de Educação Patrimonial (USP) , Universidade Estadual de São Paulo (UNESP) e Universidade de Taubaté (UNITAU)

As Casas do Patrimônio têm como objetivo criar um espaço de interlocução, articulação institucional e promoção de ações educativas com a comunidade local. O debate fomenta e favorece a construção coletiva do conhecimento e a participação social em ações educativas de valorização e preservação do patrimônio cultural.

.

 

Oficina de Pintura a Cal é destaque na Casa do Patrimônio Vale do Ribeira, em Iguape / SP

balde

Uma Oficina de Pintura a Cal vai agitar a Casa do Patrimônio Vale do Ribeira nos próximos dias.

A oficina está agendada para o dia 25 de setembro (quinta-feira), e tratará de temas como o Ciclo da Cal e Exemplos da utilização da cal em diversas partes do mundo.

Também haverá a parte prática, com a queima e pigmentação com materiais inorgânicos e uma criação de paleta de cores para orientar os participantes.

A oficina será ministrada pelo conservador e restaurador Toninho Sarasá , com monitoria de Adriano Augusto Rocha .

As inscrições gratuitas estão sendo feitas pelo telefone (13) 3841 55 03 ou diretamente na Casa do Patrimônio, rua 15 de Novembro, 218 – Centro Histórico de Iguape.

paleta

Memória : Casa do Patrimônio recebe professores de artes do Vale do Ribeira, em Iguape/SP

A Casa do Patrimônio Vale do Ribeira, uma parceria entre o Iphan – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional , através da Superintendência em São Paulo e a Prefeitura Municipal de Iguape, recebeu nesta sexta (4) professores de artes da rede de ensino pública estadual que exercem suas atividades em escolas do Vale do Ribeira.

Na programação, palestras voltadas ao patrimônio material e imaterial como “Um pouco de nós”, ministrada pela arquiteta Myrian Teresa e o painel “Resgatando Memórias”, com a professora Regina Aida Zimmer da Silva, do PCNP Arte, de Miracatu, idealizadora da ação.

Após as palestras, todos os participantes fizeram o percurso “Trilha da Memória”, despertando sentidos e sensações pelo centro histórico de Iguape.

Um dia inteiro de educação patrimonial de excelente qualidade , em conteúdo e propósito, como mostram algumas fotos do slideshow.

Show de bola !!!

Educação Patrimonial com jovens da APAE acontece em Iguape, na Casa do Patrimônio

Clique nas imagens para ampliar e iniciar o slideshow

Uma belíssima ação de Educação Patrimonial aconteceu nesta semana na Casa do Patrimônio Vale do Ribeira, em Iguape /SP.

Cerca de 20 jovens da APAE tiveram a oportunidade de assistir e interagir, junto com seus monitores,  em palestras ministradas  sobre a importância do patrimônio histórico e da arte na vida cotidiana das sociedades.

Todos ganharam uma cartilha, minuciosamente preparada para esta ação educativa.

Na sequência, os jovens visitaram os monumentos, casarões e igrejas que compõem o Centro Histórico de Iguape, quando fizeram uma visita guiada a estes prédios seculares.

Gente que vem…

Diego Dionisio, Emerson Capareli e Toninho Macedo, em visita à Casa do Patrimônio

Diego Dionisio, Emerson Capareli e Toninho Macedo, em visita à Casa do Patrimônio

Esteve visitando a Casa do Patrimônio Vale do Ribeira o produtor cultural Toninho Macedo, acompanhado pelos assessores Diego Dionisio e Emerson Capareli, da Abaçai Cultura e Arte.  Em pauta, a pré-produção do Revelando São Paulo 2014 e a gravação de um DVD com a Banda Santa Cecília, tradicional grupo musical de Iguape.

Gente que vem…

quilombola

Estiveram  visitando a Casa do Patrimônio Vale do Ribeira os quilombolas Seu Zeca e Seu Bonifácio ( ao centro, de azul claro), da Comunidade Quilombola do Morro Seco, nos limites do município com Juquiá.

Em pauta, uma apresentação de aspectos do patrimônio imaterial da região do quilombo, como o fandango.

Gente que vem…

patrimvale

A historiadora Fernanda Biondo, de Sumaré/SP esteve na Casa do Patrimônio Vale do Ribeira realizando pesquisas para o seu mestrado.

Biondo é mestranda do PEP, o Mestrado Profissional em Preservação do Patrimônio Cultural do IPHAN  e está desenvolvendo o seu trabalho na Superintendência do IPHAN em Pernambuco. O objetivo de sua pesquisa é desenvolver as diretrizes metodológicas a serem implantadas nas Casas do Patrimônio de Olinda, Recife e Igarassu, após um diagnóstico do funcionamento das Casas.

O objetivo do Mestrado é formar, de modo interdisciplinar, profissionais para o campo da preservação do patrimônio cultural, considerando a diversidade de disciplinas, questões e objetos envolvidos, assim como as particularidades regionais. Pretende-se capacitar os alunos para a análise crítica, formulação e desenvolvimento de ações de preservação, a partir de um conhecimento geral e abrangente que envolva aspectos sociais, históricos, jurídicos e tecnológicos aplicados ao campo.

Casa do Patrimônio recebe alunos do Curso de Extensão do Museu de Arte Sacra de SP

IMG_8274

A Casa do Patrimônio Vale do Ribeira abriu as portas especialmente neste sábado (7/12) para receber alunos e mestres do Curso de Extensão do Museu de Arte Sacra de São Paulo, módulos I a V. Na ocasião, foi explicado o funcionamento da Casa e a parceria entre Iphan e Prefeitura de Iguape, bem como o trabalho de conscientização que é realizado na cidade. Também foi explanado sobre as obras que ocorrerão em breve ( Correio Velho, Paço, Casa de Fundição e Sobrado dos Toledos). A seguir foi realizado um circuito pelo centro histórico de Iguape e seu casario colonial.

IMG_8267

Curso Agente Difusor de Educação Patrimonial acontece em Iguape/SP

O químico da área da construção civil, Cláudio de Jesus, é um dos três profissionais que ministraram aulas no curso Agente Difusor de Educação Patrimonial, com carga horária de 60 horas, oferecido pelo SENAI.  Para Jesus, sua função é tirar os jovens da marginalidade. ”Minha principal intenção é mostrar que todos nós podemos ser muito mais felizes com a profissão que exercemos do que com as drogas”, afirma. Cláudio possui em seu extenso currículo diversas obras em monumentos históricos espalhados pelo Brasil, entre elas a revitalização do Palácio da República e da Casa da Moeda no Rio de Janeiro.

Entre os conteúdos do curso estão: como fazer a mistura de argamassas, propriedades do produto e o processo produtivo e a pigmentação da cal de pintura. “Escolhi uma maneira pedagógica e simples de ensinar”, afirma Cláudio. “Minha intenção é mostrar o lado atrativo da química”, acrescenta.

De acordo com o coordenador do POEAO – Projeto Oficina Escola de Artes e Ofícios de Iguape, Emerson da Silva Santos, ao todo o curso recebeu cerca de 14 alunos, entre eles, arquitetos, professores e engenheiros. “O objetivo do curso de Agente Difusor de Educação Patrimonial é formar pessoas capacitadas para transmitir o conhecimento recebido no que diz respeito à educação patrimonial, principalmente em questões técnicas relacionadas ao patrimônio”, esclarece.

As aulas foram ministradas na Casa do Patrimônio Vale do Ribeira e Escola Vaz de Caminha.

fonte : Ascom/Prefeitura de Iguape

Palestra sobre patrimônio cultural e turismo movimenta Casa do Patrimônio

etec

A Casa do Patrimônio Vale do Ribeira recebeu nesta quarta-feira (4) estudantes do Curso de Técnico em Turismo Receptivo da Etec Engº Agr. Narciso de Medeiros, em Iguape. Na pauta, discussões sobre o turismo cultural , suas vertentes, novos projetos e as ações necessárias para o desenvolvimento da região.  O Técnico em Turismo Receptivo é o profissional que recebe / acolhe o turista em agências de turismo, meios de hospedagem, restaurantes e empresas organizadoras de eventos. Organiza roteiros históricos, culturais e educativos, assim como desenvolve atividades inerentes a arte da hospitalidade.

Em Iguape/SP, alunos de Escola Municipal fazem a Trilha da Memória

Este slideshow necessita de JavaScript.

Alunos da Escola Municipal Alfa II da Beira do Valo, com idade variando dos 6 aos 8 anos,  fizeram esta semana um circuito pelo Centro Histórico da cidade, acompanhados de 3 professores e uma coordenadora de ensino. Eles saíram caminhando pelas ruas, vielas e funis da parte mais antiga da cidade acompanhados por instrutores, que explicaram detalhes da nossa história  em uma linguagem simples . Na trilha proposta, cada aluno se torna um explorador e com este espírito de aventura se explica em cada ponto a nossa história , que começou muito antes do descobrimento do Brasil , numa visita ao Museu Arqueológico.   Os olhinhos deles estão atentos a tudo, como foram construídas as casas, as calçadas de pedras, o  Antigo Porto de Mar e  sua importância para a Região de todo o Vale.Tudo termina na Basílica onde se explica que todas as Vilas recebiam em primeiro lugar o nome de um Santo ou de uma Santa, trazidos em suas naus pelos Jesuítas e assim como surgiu a cidade São Sebastião do Rio de Janeiro, surgiu a Villa de Nossa Senhora das Neves de Iguape em 1538.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Minka e Patrimônio Imaterial : Palestras movimentam a Casa do Patrimônio

O museólogo Júlio Abe discorreu sobre o patrimonio imaterial do Vale do Ribeira

O museólogo Júlio Abe discorreu sobre o patrimonio imaterial do Vale do Ribeira

Um show de conhecimento, simpatia e simplicidade marcou a retomada das palestras técnicas apresentadas pela Casa do Patrimônio Vale do Ribeira, neste último fim de semana. Utilizando como gancho as comemorações do Centenário da Colônia Katsura, os palestrantes arq. Victor Hugo Mori e museólogo Júlio Abe encantaram as pessoas presentes com conhecimento técnico e histórias simples do imigrante japonês que se fixou no Jipovura, em Iguape. Victor Hugo centrou sua fala na Minka, a casa rural japonesa que foi transplantada para o Vale do Ribeira.

victor-hugo-mori

O arquiteto da Superintendência do IPHAN em São Paulo apresentou também ilustrações em Power Point MINKA 1 e MINKA 2 que podem ser acessados aqui . Na sequência, Abe chamou a atenção para o patrimônio imaterial e a necessidade das pessoas do Vale sentirem orgulho do lugar onde vivem. Convidou a todos também para o museu de rua, que foi apresentado no sábado, durante o lançamento da maquete da praça japonesa que será construída em Iguape. Um fim de semana de cultura, conhecimento e reflexão .