Roda de Conversa sobre Fandango acontece na Casa do Patrimônio Vale do Ribeira

fandango-1

foto:B.Bertagna

O violeiro começa a cantoria e em seguida os dançadores seguem o ritmo marcado pela batida dos pés e mãos…

O ritmo é alegre e contagiante,

É o Fandango Paulista ! Manifestação cultural de forte presença no Vale do Ribeira e que integra a Mostra Revelando São Paulo. A rabecas, feitas de caixeta, madeira nativa, acompanham o bailado do palmeado com sua sonoridade singular.

Na Roda de Conversa os Fandangueiros mostram suas vivências, que são aprendidas e transmitidas com a convivência de gerações distintas. Durante o diálogo, os mestres falam da beleza da dança e como ela se tornou tradicional nos litorais sul e norte, bem como no interior Sul de São Paulo.

Muitas cidades o têm como um elemento identitário de sua história.

Pode ser de Tamancos ou Chilenas, como é o caso da região do Vale do Ribeira.

Na Roda de Conversa realizada nesta sexta-feira à tarde houve a predominância de jovens fandangueiros que já começam a sua carreira, trocando experiências com os mais antigos caiçaras, e integrando-se nesta manifestação folclórica das mais ricas de São Paulo.

Culinária Caiçara : Tainha na folha da bananeira

Tainha na folha da bananeira.
Ingredientes.
1 tainha de 1kg a 1,5Kg, limpa e aberta.
1 limão amarelo (limão do sítio)
sal
Uma folha da bananeira passada no bico do gás.
1 cebola média
Cheiro verde a gosto.
De 8 a 10 folhas de alfavaca.
1 xícara de camarão sete barbas ou pitú.
1 pimentão pequeno.
2 dentes de alho.
1 pimenta sem as sementes.
2 xícaras de farinha de mandioca (do Momuna, de preferência)
Barbante.
Palitos de dente.
Modo de fazer.
Temperar a tainha depois de limpa com o suco do limão e sal a gosto e deixar ao lado para descansar.
Levar numa frigideira um pouco de óleo, a cebola,o tomate, o alho, o pimentão, o cheiro verde e a alfavaca todos picadinhos e temperar com sal.
Quando o refogado já estiver consistente colocar o camarão e refogar junto por mais uns 5 minutos ( camarão não se cozinha muito).
Adicionar a farinha para fazer uma farofa meio molhada, provar o sal e colocar a pimenta sem sementes e bem picadinha,
Farofa feita, pegar a tainha e com uma colher vá recheando a barriga dela.
Feita esta etapa vamos pegar os palitos de dente e espetá-los em suas laterais e tecer o barbante para fechar.
Colar um bom pedaço da folha da bananeira numa assadeira e embrulhá-la.
Após levar ao forno médio entre 30 a 40 minutos.
Desembrulhar e servir com um arroz branco e salada.DSC05559 DSC05561 DSC05565

DSC05570

fotos: Myrian Teresa

Veja também : Culinária Caiçara : Cação ao Molho

Fandango Caiçara recebe certificado de Patrimônio Cultural

foto: Osvaldo Capetta/paranagua.pr.gov.br

A expressão musical, Fandango Caiçara, vai receber o certificado de Patrimônio Cultural durante a 5° Festa do Fandango Caiçara de Paranaguá, que vai acontecer entre dias 15 e 17 de agosto. O evento é uma realização do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e da Fundação Municipal de Cultura de Paranaguá (MUMCUL).

Durante os três dias de evento, os participantes vão poder participar da entrega do certificado, de mesas-redondas e da formação do Grupo de Trabalho para a Salvaguarda do Fandango e Comitê Gestor do Fandango. O encontro também vai mostrar Roda de Viola, Causos, Feira de Artesanato e Gastronomia Caiçara.

Programação
• 15/08 – 20h – Entrega do Certificado de Registro de Bem de Natureza Imaterial do Fandango Caiçara aos Mestres Fandangueiros.
Local: Câmara Municipal de Paranaguá. Rua João Estevão, 361. Centro Histórico.

• 16/08 – 10h – Mesa Redonda com José la Pastina Filho (Superintendente do Iphan no Paraná), Paulino Viapiana (Secretário de Estado da Cultura), Ary Giordani (Mestre em Musicologia Histórica, pesquisador e professor da Universidade federal do Paraná), Patrícia Martins (Mestre em Antropologia Social, Pesquisadora e Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná), Dauro da Juréia, Carlos Diegues e Maria Angélica Lobo Leomil (Presidente da Fundação Municipal de Cultura de Paranaguá).
Local: Casa Cecy. Rua XV de Novembro, 499. Centro Histórico.

14h – Formação do Grupo de Trabalho para a salvaguarda do Fandango e Comitê Gestor do Fandango.
Local: Casa Cecy. Rua XV de Novembro, 499. Centro Histórico.

20h – Baile de Fandango com os grupos: Ilha dos Valadares – Mestre Brasílio, Pés de Ouro – Mestre Nemésio, Mandicuera – Mestre Aorélio, Mestre Romão.
Local: Mercado do Café. Haverá feira de artesanato e gastronomia no entorno do Mercado.

• 17/08 – 15h – Café com banana e fandango + Roda de Viola com os Mestres + Causos com Rogério Soares e Pilda Costa + Feira de Artesanato e Gastronomia Caiçara no entorno do Mercado.

20h – Baile de Fandango com os grupos: Ilha dos Valadares – Mestre Brasílio, Pés de Ouro – Mestre Nemésio, Mandicuera – Mestre Aorélio, Mestre Romão.
Local: Mercado do Café.

Fandango Caiçara
O Fandango Caiçara é uma expressão musical-coreográfica-poética e festiva, cuja área de ocorrência abrange o litoral sul do estado de São Paulo e o litoral norte do estado do Paraná. Essa forma de expressão possui uma estrutura bastante complexa e se define em um conjunto de práticas que abrange o trabalho, o divertimento, a religiosidade, a música e a dança, prestígios e rivalidades, saberes e fazeres.

O Fandango Caiçara se classifica em batido e bailado ou valsado, cujas diferenças se definem pelos instrumentos utilizados, pela estrutura musical, pelos versos e toques. Nos bailes, como são conhecidos os encontros onde há Fandango, se estabelecem redes de trocas e diálogos entre gerações, intercâmbio de instrumentos, afinações, modas e passos viabilizando a manutenção da memória e da prática das diferentes músicas e danças.

O Fandango Caiçara é uma forma de expressão profundamente enraizada no cotidiano das comunidades caiçaras, um espaço de reiteração de sua identidade e determinante dos padrões sociais.

Mais informações:
Casa Cecy
Rua XV de Novembro, 499. Centro Histórico. Paranaguá – PR.
Fone: (41) 3420-2933
e-mail: fumcul@fumcul.com.br

fonte: Portal do IPHAN