Deu na Gazeta Caiçara : Iguape, primeiro núcleo de colonização japonesa no Brasil

ED33_PAG5_1A

Em terras iguapenses, mas precisamente no bairro do Jipovura, chegavam há 100 anos as primeiras famílias japonesas para se estabelecer no Brasil foto : acervo/Rosalva Nobuko

Por Rafael Peroni

Contar 100 anos de histórias em apenas uma reportagem seria até uma afronta tamanha a importância da cultura japonesa para o Vale do Ribeira e para o Brasil. Por isso, a partir desta edição, até o dia 9 de novembro, traremos uma série de reportagens especiais que contam os 100 anos da colonização japonesa no Brasil. Uma história que teve início em Iguape com a Katsura Shokuminti (Colônia Katsura), fundada em 9 de novembro de 1913, no bairro do Jipovura.

O INÍCIO DA COLONIZAÇÃO

Tudo começou em meados de 1913, quando foi constituída em Tóquio uma Companhia de Colonização do Brasil, a Brasil Takushoku Kaixa. O objetivo era estabelecer colonos japoneses para trabalharem com arroz no Vale do Rio Ribeira de Iguape. A política de emigração ganhava forças no Japão em função de o país passar por uma crise econômica, onde havia endividamento de trabalhadores rurais e escassez de terras cultiváveis.

O Brasil foi um dos poucos países que fez um tratado de amizade com os japoneses permitindo então que sua população viesse para trabalhar na produção agrícola. Em meados de 1913 partiu rumo ao Brasil um grupo formado por um engenheiro agrônomo, um médico e vários auxiliares, com a missão de percorrer as terras da nossa região (Vale do Ribeira) e prepará-la para receber os primeiros colonos.

Katsura foi uma maneira encontrada para homenagear o primeiro ministro japonês à época, Taro Katsura.  Aportaram inicialmente na colônia 36 famílias, dentre elas algumas que atualmente ainda residem em Iguape como: Yanaguisawa, Nishidate, Nakamura, Tadano, Hayashi, Ono, Takahira, dentre outras. Os japoneses previam que, após a instalação dessas famílias, além do arroz, seria possível explorar as terras para plantar outras culturas. Pretendiam plantar chá, e a indústria da seda.

Em 21 de outubro de 1913, o então presidente da Câmara Municipal de Iguape, José Sant’anna Ferreira, autoriza o prefeito Antônio Jeremias Muniz Júnior, a adquirir o sítio Jipovura para ser doado à Takushoku Kaixa, afim de ser uma área destinada aos primeiros colonos japoneses no país.

Participaram do processo de colonização o ministro de colonização do exterior, Dr. Rujiutaro Nagai; ministro do exterior Shibusawa Eiichi; embaixador japonês Dr. Kanitake Oura e Dr. Massagi Inoue, presidente da empresa Kagia Koguiu Kabuxiki Kaixa (KKKK).

Leia Também :  Iguape, Primeiro Núcleo da Colonização Japonesa no Brasil Parte 2

                             Iguape, Primeiro Núcleo da Colonização Japonesa no Brasil Parte 3

                             Iguape, Primeiro Núcleo da Colonização Japonesa no Brasil Parte 4

Anúncios

5 pensamentos sobre “Deu na Gazeta Caiçara : Iguape, primeiro núcleo de colonização japonesa no Brasil

  1. Pingback: Deu na Gazeta Caiçara : Iguape, primeiro núcleo de colonização japonesa no Brasil > parte 3 | Casa do Patrimônio Vale do Ribeira

  2. Pingback: Deu na Gazeta Caiçara : Iguape, primeiro núcleo de colonização japonesa no Brasil > parte 2 | Casa do Patrimônio Vale do Ribeira

  3. Pingback: Deu na Gazeta Caiçara : Iguape >Primeiro Núcleo da Colonização Japonesa no Brasil : parte 4 | Casa do Patrimônio Vale do Ribeira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s