Ponto de Cultura “Caiçaras” promove o Festival Lagamar – Conexões Afroameríndias Litoral Sul

Entre os dias 19, 20 e 21 de abril acontecerá um rico encontro com os saberes e fazeres das culturas tradicionais dos povos do Lagamar nas cidades de Cananeia e Ilha Comprida, localizadas no *litoral sul* do Estado de São Paulo.

O encontro acontece no Boqueirão Sul da Ilha Comprida e é uma oportunidade única para ser celebrada a sabedoria ancestral dos povos que vivem no maior pedaço de Mata Atlântica do planeta através de roteiros de turismo de experiência e de uma programação artística e cultural composta por atividades gratuitas e pagas, com valores acessíveis a todas as pessoas.

Na parte de gastronomia, haverá opções alternativas de alimentação com empreendedores locais e valores variados e acessíveis a todos os públicos como a Gaia Alimentação: salgados e hambúrgueres veganos, lanche natural vegetariano, doces (haribol e brigadeiro) e sucos naturais da Mata Atlântica e o Restaurante Jura’s: de frente para o mar, som aconchegante, ambiente familiar, cardápio variado com peixes, carnes e frutos do mar, parceiros do encontro.

foto: Ponto de Cultura Caiçaras/Facebook reprodução

TURISMO DE EXPERIÊNCIA

Vivências e roteiros turísticos com um número mínimo de 10 pessoas dependendo do passeio. Transporte não incluso.

foto: Ponto de Cultura Caiçaras/Facebook reprodução

Observação de golfinhos, visita à Aldeia Guarani M’Bya Takuari-ty eSítios Bela Vista e Sabores da Roça (agrofloresta, roças caiçaras, criação de abelhas nativas s/ ferrão, produtos orgânicos, entre outros),Comunidade Quilombola do Mandira ,Comunidade Caiçara do Itacuruça e Pereirinha e às Cachoeiras do Pitu e do Mandira

Programação > Sexta, 19 de abril de 2019
10:00 – 12:00
Turismo de experiência: A conversa dos botos (passeio guiado p/ observação de botos na P. da Trincheira – Ilha Comprida)
12:30 – 14:00
Almoço caiçara no sítio da Família Cardoso
14:00 – 15:00
Roda de abertura: vivência de canto e dança com os Guaranis M’Bya da Tekoa Takuari-ty
14:00 – 18:00
Feira de produtos artesanais e comunitários da Mata Atlântica, que contará com produtos artesanais e/ou orgânicos oriundos de pequenos produtores e da agricultura familiar das cidades de Cananeia e de Ilha Comprida (SP).
15:00 – 17:00
Roda de prosa: Conexões Afroameríndias Litoral Sul – presenças do Mestre Lumumba e do Cacique Wera Poty
18:00
Cinema infantil
19:00 – 21:00
Roda de prosa: Negócios sociais em rede – ações colaborativas para vendas e trocas de produtos e serviços locais
21:00
Lançamento do aplicativo Guia Lagamar, Evento gratuito de lançamento do aplicativo de entretenimento turístico e cultural que pretende conectar pessoas a experiências únicas na região do Lagamar.

Mestre Lumumba/reprodução Facebook

Sábado, 20 de abril de 2019
08:00 – 12:00
Ecoturismo: Cachoeira do Pitu + Turismo de experiência: sítios Bela Vista e Sabores da Roça
12:30
Almoço quilombola no Restaubar – Ostra e Cataia
14:00 – 18:00
Turismo de experiência: Quilombo do Mandira + Ecoturismo: Cachoeira do Mandira
18:00
Cinema infantil
20:00
Música ao vivo, Em encontro na beira do mar entre a essência e a beleza da musicalidade indígena, caiçara e afro-brasileira e em meio aos encantos (e encantados) da Mata Atlântica
Fandango caiçara ,Mestre Lumumba (Reggae com raízes brasileiras e o culto dos orixás) e Nativos da Ilha (forró)
Programação Domingo, 21 de abril de 2019
10:00
Turismo de experiência: Comunidade Caiçara do Itacuruça (Ilha do Cardoso)
12:30
Almoço caiçara
15:00
Roda de despedida – Praia do Itacuruça e Pereirinha

foto : Ponto de Cultura Caiçaras/facebook reprodução

HOSPEDAGEM

Namastê – coworking, hospedagem, galeria de artes e eventos (Namastê Hospedagem, Galeria de Artes & Eventos).

Todas as Informações podem ser obtidas através dos fones e endereços virtuais :
(13) 98102-9918 (whatsapp)
contato@matimperere.com.br
https://www.facebook.com/matimperereturismo/
www.matimperere.com.br

foto: Ponto de Cultura Caiçaras/Facebook reprodução

Anúncios

Iguape/SP , quase 500 anos de história no Vale do Ribeira

foto: B. Bertagna

Oficialmente, Iguape foi fundada em 3 de dezembro de 1538. A data de fundação atual foi estabelecida em 1938, pelo então Prefeito, Manoel Honório Fortes. O Prefeito  incumbiu uma comissão de historiadores paulistas, presidida pelo ilustre Afonso d’Escragnolle Taunay, para estabelecerem a data provável da fundação, sendo aceito o dia 3 de dezembro de 1538, baseados em documentos históricos que usam como referência a data de separação de Iguape e Cananéia.

Igreja de São Benedito foto: B. Bertagna

Praça Engº Greenhalgh, também conhecida como Praça São Benedito, local aprazível onde se encontra a antiga Fonte da cidade. foto: B. Bertagna

É uma simpática cidade, cheia de histórias e causos contados por seus moradores, ideal para se aventurar no seu passado, em passeios românticos por suas ruas estreitas e para conhecer as festividades religiosas e culturais, como a Festa de Agosto, que já são tradição. Iguape conta com uma boa infra-estrutura de hotelaria, pousadas e restaurantes.

Primeira Casa de Fundição de ouro do Brasil, hoje Museu Municipal de Iguape foto: B.Bertagna

Com uma previsão de mais de R$ 10 milhões em investimentos, o Sobrado dos Toledos (orçado em R$ 5.298.773,27) e o Paço Municipal (R$ 5.607.919,470), dois importantes edifícios da cidade de Iguape (SP), começaram a ser restaurados a partir de julho de 2019. As obras pretendem restabelecer a infraestrutura e conservação dos espaços, significativos para a história e arquitetura do município, e estão sendo realizadas com recursos do PAC Cidades Históricas, programa do Governo Federal, e execução do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

prefeitura-iguape

foto: B. Bertagna. Paço Municipal em 2013

O sobrado que abriga o Paço Municipal foi construído na segunda metade do século XIX, pelo comendador Luis Álvares da Silva, homem mais rico e influente da região à época. Posteriormente, o prédio passou a sediar o Club Beneficente e Recreativo Iguapense e a Câmara Municipal, vindo a ser adquirido pela Prefeitura em 1945. Desde então, passou a funcionar como Paço Municipal.

Digitalizar0014

Arquivo Iphan

O Sobrado dos Toledos leva esse nome por ter sido residência de outro cidadão importante da região, José Carlos de Toledo. Construído na primeira metade do século XIX, durante o ciclo do arroz, o prédio foi doado pelos herdeiros, em 1931, ao Santuário de Iguape, para que abrigasse romeiros durante as festividades do Bom Jesus, época em que o edifício ficou conhecido como Sobrado do Santo. Depois disso, o prédio sediou diversos empreendimentos e, atualmente, encontra-se em ruínas, restando ainda as características originais das fachadas.

Os dois edifícios estão localizados na área do conjunto histórico de Iguape, tombada pelo Iphan. As duas intervenções se somam à restauração da Antiga Casa de Fundição, concluída em dezembro de 2015, com recursos de R$ 837 mil, também pelo PAC Cidades Históricas, representando um significativo investimento no Patrimônio Cultural da cidade.

IMG_20160718_123158[1]

foto: B. Bertagna

Vapor_Izabel_no_bairro_Jipovura_início_do_século_XX

Vapor Izabel, no Rio Ribeira de Iguape, na altura do bairro Jipovura, por volta de 1909. Arquivo Iphan/Dossiê Tombamento

A real data da fundação do município é desconhecida. Alguns historiadores chegam a acreditar que já havia europeus vivendo na região mesmo antes do descobrimento do Brasil por Pedro Álvares Cabral.

A tradicional Festa do Bom Jesus de Iguape, a Festa de Agosto, que atrai milhares de romeiros de todos os cantos do Brasil. Foto : Gazeta Caiçara/Rafael Peroni

Procissão de Nª Srª das Neves. padroeira de Iguape. foto; http://www.senhorbomjesusdeiguape.com.br

Remonta a 1577 a data em que o povoado foi elevado à categoria de freguesia, com o nome de Freguesia de Nossa Senhora das Neves da Vila de Iguape, quando foi aberto o primeiro livro do tombo da Igreja de Nossa Senhora das Neves, construída no local conhecido por Vila Velha, no sopé do morro chamado de Outeiro do Bacharel, defronte à Barra do Icapara.

ademar-de-barros

Arquivo Iphan

Não se sabe, ao certo, a data de elevação a vila, porém, acredita-se que tenha sido entre 1600 e 1614.

Altar mor da Basílica foto: B. Bertagna

Neste último ano, foi iniciada a construção da antiga Igreja Matriz, já no local atual, no centro urbano, após a mudança da então freguesia, ordenada pelo fidalgo português Eleodoro Ébano Pereira.

Vista dos imensos telhados e das torres da Igreja São Benedito, uma das mais antigas da cidade. foto: B. Bertagna

A Vila foi elevada a cidade pela Lei nº 17 de 3 de abril de 1848 com o nome de Bom Jesus da Ribeira, mas no ano seguinte, pela Lei nº 03 de 3 de maio de 1849, foi modificado o nome para Bom Jesus de Iguape.
Posteriormente, o costume popular simplificou-o para Iguape.

Hoje Iguape revela surpresas no plano do Patrimônio Imaterial como o tradicional Carnaval de Rua , com vários blocos organizados que circundam a praça da Basílica durante as folias de Momo e ainda preserva o Fandango Caiçara, com suas rabecas, seus bailados e tradições.

rabeca1

Arquivo Iphan

porto

Arquivo Iphan

Fundação: 3 de dezembro de 1538
Gentílico : iguapense
Lema: Virtvtes Pavlistarvm Retento
\\\”Detenho as Virtudes dos Paulistas\\\”

Arquivo Iphan – Giovani Sarkis

foto: B. Bertagna

Arquivo Iphan – Giovani Sarkis

Topônimo
A palavra Iguape tem origem na língua tupi e significa na enseada do rio, através da junção dos termos y(água, rio), kûá (enseada) e pe(em)

Antiga Fábrica da Matarazzo de processamento de peixe. foto: B. Bertagna

Romeiros recebem benção em frente à Basílica. foto: B.Bertagna

Arquivo Iphan – Giovani Sarkis

Arquivo Iphan fotos: Germano / junho de 1950

Imagem de Cristo no morro do Espia. foto: B. Bertagna

Como chegar :

De São Paulo/Santos:

Descer a BR 116, rodovia Régis Bittencourt ou a Padre Manuel da Nóbrega SP-55 e, após a cidade de Miracatu, entrar no Km 401, Rodovia Casemiro Teixeira SP-222 para Iguape, com distância aproximada total de 200 km.

Os ônibus da empresa ValleSul vindos de São Paulo saem do Terminal Barra Funda em 4 horários diários. Partindo de Santos/SP há um ônibus diário.

De Curitiba:

Seguir a BR 116 – Rodovia Régis Bittencourt Norte e, passando pela cidade de Jacupiranga, entrar no Km 464 para Pariquera-Açu/Iguape, na rodovia Ivo Zanella. Total aproximado de 250 km

De Curitiba, os ônibus saem da Estação Rodoferroviária e há um horário diário nos dois sentidos e 2 horários de sexta a segunda, cumpridos pela empresa Princesa dos Campos.

De Sorocaba:

Saindo de Sorocaba ou cidades vizinhas pegar a Rodovia SP-079 (Serra de Tapiraí) até Juquiá. Depois entrar na BR 116 Rodovia Régis Bittencourt Norte sentido São Paulo e, depois de 13 km, pegar a entrada de Iguape no Km 401, na Rodovia Total de 2 00 km.De Sorocaba a Iguape, há um horário regular realizado pela empresa São João

De Registro /SP os ônibus saem praticamente de hora em hora, fazendo conexão para cidades vizinhas como Cananéia, Pariquera-Açu, Jacupiranga, Eldorado, Iporanga, Miracatu, Juquiá,Cajati, Apiaí, etc.

Mar Pequeno visto do Morro do Espia foto : Luciano Faustino/Wikipédia

A cidade fica também a 5 km, por estrada asfaltada,  das praias atlânticas de Ilha Comprida. Além de uma bela paisagem, o Mar Pequeno proporciona ótimas pescarias.

foto: B. Bertagna

IMG_7109

foto: B. Bertagna

MAPA 2 D

COMTUR de Iguape/SP realiza mais uma sessão ordinária nesta quarta

O COMTUR – Conselho Municipal de Turismo realiza nesta quarta, 27 no Centro Cultural mais uma reunião à partir das 15 horas. Formado por representantes do município, de entidades preservacionistas, de apoio ao turismo e à cultura e sociedade civil organizada o Comtur de Iguape funciona de forma ininterrupta.

Nesta edição a pauta está composta por temas como Lei da criação do arquivo Histórico , Ruínas do Itaguá , Fonte da Saudade , criação e difusão de Folders, Colocação de Placas nos pontos históricos , Trânsito pesado no Centro Histórico, exigência da distribuidora de energia em quebrar paredes históricas para colocação de medidores de energia e Pits informativos.

Iphan / SP perde o arquiteto e urbanista Mauro Bondi

O arquiteto e urbanista Mauro Bondi faleceu nesta terça-feira (12) em São Paulo, capital. Bondi estava internado e lutava contra um câncer.

Formado pela Universidade de Brasília (UnB) em 1975, também tinha paixão por pintura e design gráfico . Bondi ingressou no Iphan – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1983, onde atuava até os dias atuais na Superintendência em São Paulo.

Ele esteve diversas vezes visitando Iguape durante a fase de instrução do processo de tombamento do centro histórico. Adeus, companheiro !

Carnaval 2019 em Iguape/SP tem agenda divulgada

 Famosa por seu carnaval de rua que abriga tanto as famílias que gostam de festejar com as crianças, quanto os jovens que vêm buscando agito, Iguape é uma cidade do litoral sul de São Paulo com 480 anos de história e possui o maior conjunto de construções coloniais do Estado. Com aproximadamente 30 mil habitantes, chega a quadruplicar sua população nos dias de carnaval com os blocos tradicionais como Zé Pereira, Boi Tatá, Bloco do Litro e Dorothéia.
Neste ano, além dos tradicionais desfiles no Centro Histórico da cidade, todo final de noite terá uma banda animando os foliões.Confiram a programação completa além de outras informações pela página:  facebook.com/PrefeituradeIguapeOficial/

 

Deu no Registrodiário.com > Do interior para a capital: o Vale do Ribeira terá exposição na grande São Paulo

O Projeto Retratos do Ribeira é um documentário fotográfico sobre a vida ao longo das margens do Rio Ribeira de Iguape buscando as histórias de sua gente, de um diversificado mosaico de culturas que abrange antigos colonos japoneses, alemães e italianos; diversas áreas quilombolas, aldeias indígenas, caiçaras no litoral e remanescentes dos tropeiros nas serras, entre outros.

O Projeto Retratos do Ribeira é um projeto sensível ao humano, à natureza e à vida. O Rio Ribeira de Iguape é um dos últimos grandes rios sem barragens, que ainda conserva em suas margens as maiores áreas remanescentes de Mata Atlântica, inúmeras nascentes, áreas de grande interesse turístico como as cavernas do PETAR, os manguezais em sua foz que abrangem de Iguape a Cananéia e se prolongam até o Paraná.

Os fotógrafos Ricardo Martinelli e Paulo Jolkesky vem há mais de cinco anos, e em diferentes momentos e situações, percorrendo os quase 500km das margens do rio e coletando relatos, retratos, vídeos e muitas histórias de luta e preservação.

Exposição de 59 fotografias em Preto e Branco que trazem ao público paulista a natureza do Vale do Ribeira e aspectos da vida quotidiana e da qualidade de vida ali alcançada por moradores de uma grande diversidade cultural, que vivem às margens ora do Rio Ribeira, ora do desenvolvimento.

Casas simples, rostos singelos, histórias complexas.

Visitação de 27/02 a 14/03 de 2019 | Conjunto Nacional Piso Térreo | Avenida Paulista 2073

fonte: registrodiário.com

Casa do Patrimônio Vale do Ribeira realiza palestra de Educação Patrimonial em Arqueologia

Nesta sexta (26) a Casa do Patrimônio Vale do Ribeira sediada em Iguape/SP recebeu um público formado pelos funcionários das obras de restauração do Paço Municipal e do Sobrado dos Toledos, realização do Iphan através do PAC Cidades Históricas e executada pela Projete Engenharia.

Em pauta uma palestra sobre Educação Patrimonial em Arqueologia, ministrada pelo corpo técnico da empresa Alhambra Arqueo Paisagem formada pelos Arqueólogos, Dr. Vagner Carvalheiro Porto, Ms. Wagner Magalhães, Dra. Juliana Figueira da Hora, Me. Elaine Alencastro.

Os operários e técnicos das duas obras receberam diversas informações sobre arqueologia, em especial sobre a cultura material resgatada durante as etapas de monitoramento arqueólogico .

O próximo passo será feito em laboratório com a curadoria e o estudo das peças coletadas.

Capela São Miguel Arcanjo do Cemitério Municipal de Iguape é restaurada

Por Erika Oishi

Nesta semana,foi realizada a celebração de entrega da restauração da Capela São Miguel Arcanjo, do Cemitério Municipal. As obras aconteciam desde 16 de fevereiro deste ano.

Com a finalização de sua construção datando de aproximadamente 1858, alguns elementos da Capela pertenceram à matriz original da cidade, como o pórtico principal em pedra e a porta em madeira da entrada.

Na revitalização, realizada com recursos próprios e através de processo licitatório pela Prefeitura Municipal, a empresa responsável Engetec Engenharia fez diversas descobertas durante as obras que exigiram muito critério, como janelas ocultas atrás do altar que viraram nicho para imagens e detalhes como o rodameio (faixa de proteção ao longo das bases das paredes), que estava coberto de tinta por conta da última reforma realizada na década de 60.

Para preservar a construção histórica, argamassa com cal foi utilizada a fim de permitir a respiração da parede de pedra, que se deteriora uma vez abafada. O altar em mármore da década de 60 foi restaurado e a parte elétrica refeita. Lustres suspensos remetem à época.

Além da estrutura da Capela São Miguel Arcanjo, também houve restauração das imagens e recuperação do velário aos fundos, pela parte externa.

No evento de entrega, a iluminação foi acesa apenas após a consagração, onde acontece a aspersão da água benta, as unções do altar e das paredes do edifício, a incensação e a deposição das relíquias no altar, culminando com a celebração da missa.

Celebração de entrega

3ª Festa do Fandango Caiçara acontece em Cananéia

Os fandangueiros cananeenses, em parceria com o Ponto de Cultura Caiçaras e com o Comitê Provisório de Salvaguarda do Fandango Caiçara, realizará entre os dias 11 e 13 de outubro de 2018 a 3ª Festa do Fandango Caiçara de Cananeia.

A terceira edição da festa terá como objetivos básicos apoiar, incentivar, fomentar e difundir os diversos elementos do Fandango Caiçara, promovendo a rica expressividade histórica, social e artística dessa tradicional cultura popular brasileira, a qual é reconhecida desde 2012 como Patrimônio Cultural Brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), órgão governamental ligado ao Ministério da Cultura (MinC). Além disso, o encontro também terá como objetivo promover o intercâmbio entre Fandangueiras e Fandangueiros de diferentes cidades do Território Caiçara, incluindo as Cirandeiras e os Cirandeiros da cidade de Paraty (RJ).

Para tanto, realizaremos a festa em sistema de mutirão, ou seja, na construção coletiva baseada na experiência que aconteceu em Paranaguá que não contou com apoio financeiro de projetos e/ou governos. Da mesma forma, faremos um grande mutirão pra receber as pessoas vindas de todas as cidades do Território do Fandango Caiçara em nossa cidade.

Será um grande encontro de celebração da cultura e da resistência caiçara que vive e se reinventa em harmonia com a Mata Atlântica existente em seu território.

O Fandango Caiçara é Patrimônio Cultural Brasileiro desde 2012. Cabe aos governos zelar e apoiar as ações para a sua salvaguarda!!!

Acompanhe em: https://www.facebook.com/events/223…

Prêmio Fandango Caiçara está com as inscrições abertas

Até o dia 10 de setembro, estão abertas as inscrições Prêmio Fandango Caiçara, Patrimônio Cultural do Brasil 2018.  A premiação tem como objetivo reconhecer e valorizar as representações simbólicas do bem cultural registrado, por meio da premiação de Mestres e Mestras do Paraná e de São Paulo cuja trajetória de vida tenha contribuído de maneira fundamental para a transmissão e continuidade do Fandango Caiçara, Patrimônio Cultural Brasileiro. Também serão premiados grupos cuja trajetória e atuação contribuam de forma exemplar para a valorização, difusão e transmissão do bem cultural às novas gerações.

A premiação atende às diretrizes de ações estabelecidas no âmbito da elaboração do Plano de Salvaguarda do Fandango Caiçara e irá identificar, valorizar e dar visibilidade às atividades e às estratégias de preservação das identidades culturais dos protagonistas desta forma de expressão. Serão concedidos 18 prêmios, totalizando o valor de R$ 130 mil. As inscrições são gratuitas e somente podem ser feitas via Correios ou pessoalmente na Superintendência do Iphan no Paraná. Mais informações estão disponíveis no edital da premiação.

Fandango Caiçara – registrado pelo Iphan em novembro de 2012 – é uma expressão musical-coreográfica-poética e festiva, cuja área de ocorrência abrange o litoral sul do Estado de São Paulo e o litoral norte do Estado do Paraná. Possui uma estrutura bastante complexa e se define em um conjunto de práticas que perpassam o trabalho, o divertimento, a religiosidade, a música e a dança, prestígios e rivalidades, saberes e fazeres.

O Fandango Caiçara se classifica em batido e bailado ou valsado, cujas diferenças se definem pelos instrumentos utilizados, pela estrutura musical, pelos versos e toques.

fonte: Ascom/Iphan

Neste final de semana acontece a 26ª Festa da Tainha do Icapara, em Iguape/SP

Clique na imagem para ampliar

Dias 13, 14 e 15 de julho, no bairro do Icapara na cidade de Iguape, acontecerá a 26ª edição da Festa da Tainha do Icapara com muitas atrações musicais e workshops.
 
Com uma programação diversa, essa edição da festa traz música para todos os gostos, com a sereia do samba Carolina Soares, o pagode tradição do Katinguelê e o rock da banda Plebe Rude.
 
Os workshops trazem a vivência da cultura caiçara, com confecção de pilão, rabeca, viola branca e fandango. 

Paço Municipal e Sobrado dos Toledos, em Iguape (SP), começam a ser restaurados

Com mais de R$ 10 milhões em previsão de investimentos, o Sobrado dos Toledos e o Paço Municipal, dois importantes edifícios da cidade de Iguape (SP), serão restaurados a partir desse mês de julho. As obras pretendem restabelecer a infraestrutura e conservação dos espaços, significativos para a história e arquitetura do município, e serão realizadas com recursos do PAC Cidades Históricas, programa do Governo Federal, com execução do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

A ordem de serviço que dá início às intervenções será assinada no dia 04 de julho, com a presença do diretor do Departamento de Projetos Especiais do Iphan, Robson de Almeida; da superintendente do Iphan em São Paulo, Maria Cristina Donadelli; e representantes da Administração Municipal e da Mitra Diocesana de Registro. A previsão é que os trabalhos estejam concluídos em cerca de um ano e meio.

                                                                                       O sobrado que abriga o Paço Municipal foi construído na segunda metade do século XIX, pelo comendador Luis Álvares da Silva, homem mais rico e influente da região à época. Posteriormente, o prédio passou a sediar o Club Beneficente e Recreativo Iguapense e a Câmara Municipal, vindo a ser adquirido pela Prefeitura em 1945. Desde então, passou a funcionar como Paço Municipal.

Já o sobrado dos Toledos leva esse nome por ter sido residência de outro cidadão importante da região, José Carlos de Toledo. Construído na primeira metade do século XIX, durante o ciclo do arroz, o prédio foi doado pelos herdeiros, em 1931, ao Santuário de Iguape, para que abrigasse romeiros durante as festividades do Bom Jesus, época em que o edifício ficou conhecido como Sobrado do Santo. Depois disso, o prédio sediou diversos empreendimentos e, atualmente, encontra-se em ruínas, restando ainda as características originais das fachadas.

Os dois edifícios estão localizados na área do conjunto histórico de Iguape, tombada pelo Iphan. As duas intervenções se somam à restauração da Antiga Casa de Fundição, concluída em dezembro de 2015, com recursos de R$ 837 mil, também pelo PAC Cidades Históricas, representando um significativo investimento no Patrimônio Cultural da cidade. O programa está presente em 44 cidades brasileiras, sendo três delas no Estado de São Paulo: Iguape, Santo André e São Luiz do Paraitinga – incluindo 16 ações e uma previsão de investimentos de R$ 54,7 milhões.

Serviço:
Assinatura da ordem de início das restaurações do Sobrado dos Toledos e do Paço Municipal de Iguape (SP)

Data: 04 de julho, 11h
Local: Paço Municipal de Iguape, Rua Quinze de Novembro, 272, Iguape/SP

Iphan publica edital de concurso para 411 vagas em todo o Brasil

O Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, 12 de junho, trouxe o edital do concurso do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). As inscrições podem ser realizadas de 18 de junho a 09 de julho, no site do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), que é o organizador do certame.

Resultado de uma forte mobilização nacional, com o objetivo de evidenciar à sociedade a importância de preservação do Patrimônio Cultural Brasileiro, o concurso foi autorizado no último dia 03 de maio, com a autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP). São 411 vagas, distribuídas em todo o país, sendo 104 para Analista I, 176 para Técnico I e 131 para Auxiliar Institucional I.

Outras informações sobre o edital estão disponíveis no site do Cebraspe.

Atuação do Iphan
O quadro técnico do Iphan – distribuído entre a sede em Brasília, 27 superintendências estaduais, 37 escritórios técnicos, incluindo os Parques Históricos Nacionais e seis unidades especiais – é responsável por uma ampla gama de atribuições constitucionais e legais, como identificação, reconhecimento, salvaguarda e fiscalização do Patrimônio Cultural Nacional, proteção dos Sítios Arqueológicos e Reservas Técnicas, preservação de acervos documentais e bibliográficos, identificação da diversidade linguística, gestão do Patrimônio Genético, execução de projetos e obras de intervenção em bens e conjuntos tombados, gerenciamento dos programas PAC das Cidades Históricas e Agora é Avançar, aprovação, fiscalização e apuração de prestação de contas de Convênios e processos de Lei de Incentivo à Cultura, ações educativas, assistência técnica e monitoramento do Patrimônio Mundial, e definição da Política de Patrimônio Cultural no Brasil.

O Iphan atualmente é responsável por fiscalizar um Patrimônio Material bastante extenso. São:

  • 87 Conjuntos Urbanos Tombados com 78 mil imóveis contidos nessas áreas;
  • 590 mil imóveis localizados em áreas de entorno dos bens tombados;
  • 1.264 bens materiais tombados;
  • 590 bens imóveis ferroviários valorados;
  • Mais de 29 mil cidadãos diretamente atendidos pelo Iphan;
  • 26.409 sítios arqueológicos cadastrados;
  • 336 instituições de pesquisa e guarda;
  • 11.926 mil projetos de pesquisa autorizados (1991-2017).

Ressalta-se, também, a necessidade de análise sobre a saída de obras de arte do país, com cerca de 50 mil pedidos de autorização por ano.

Sobre as manifestações do patrimônio imaterial, são:

  • 42 bens imateriais registrados
  • 7 línguas inventariadas
  • 149 processos de salvaguarda em andamento
  • 39 processos de registro em andamento
  • 160 projetos do Inventário Nacional de Referências Culturais concluídos
  • 140 ações de apoio e fomento por meio do edital do PNPI

O Programa Agora É Avançar, projeto do Governo Federal focado na retomada de obras em todo o país, a fim de oferecer mais crescimento e cidadania para os brasileiros, também é coordenado pelo Iphan. O programa pretende concluir, até o fim de 2018, sete mil empreendimentos, incluindo obras de infraestrutura logística, energética, defesa, social e urbana e envolvendo todos os ministérios setoriais. O Ministério da Cultura, por meio do Iphan, também integra o Agora é Avançar, com a previsão de investimentos em 61 ações destinadas ao desenvolvimento das cidades históricas brasileiras.

Além dessas obras, grande parte dos investimentos do país passa pelo Iphan, responsável pelas análises referentes ao Licenciamento Ambiental, num trabalho articulado com a Casa Civil e com os Ministérios do Meio Ambiente, Planejamento, Minas e Energia, Transportes e Cidades. A maior parte dos empreendimentos avaliados são das áreas de Ferrovias, Mobilidade Urbana, Transmissão e Geração de energia, Rodovias, Saneamento, Petroquímica, Portos e Aeroportos.

6ª edição do Festival Literário de Iguape acontece de 24 a 26 de maio

Conceição Evaristo , Djamila RibeiroElisa Lucinda , Ellen Oléria, @Larissa Luz, Sandra de Sá e @Daniel Munduruku são alguns dos participantes da 6º edição do Festival Literário de Iguape que neste ano discute sobre identidade, ancestralidade e pluralidade de narrativas. O FLI Produz é uma nova plataforma do Festival Literário de Iguape SP, que pretende tratar da formação de cada etapa da ficha técnica de um festival. Em 2018, o foco será o papel do produtor executivo, numa oficina de 35 horas, que passará por teoria e prática, sob coordenação do experiente Júnior GuimarãesO FLI , que será realizado de  24 e 26 de maio  conta com show, sarau e conversas e as atividades que são gratuitas , acontecem nas tendas da Praça da Basílica (Território da Palavra e Ponto do Livro) e Biblioteca Pública Municipal, além da programação preparada para as escolas municipais, bem como oficinas e workshops em sete municípios do Vale do Ribeira.

Elisa Lucinda (acervo pessoal)


GUIA RÁPIDO

24/5 – QUINTA-FEIRA
14h | Território da Palavra | Espetáculo | “3ÁFRICAS EM RAINHAS DO TEMPO” – Coletivo 3Áfricas
18h | Ponto do Livro | Espaço de troca gratuita de livros
20h | Território da Palavra | Conversa | “O QUE É LUGAR DE FALA?”, com Djamila Ribeiro e mediação de Bianca Santana
22h | Território da Palavra | Sarau | FLISARAU com Roberta Estrela D’Alva
22h | Ponto do Livro | Lançamento do livro “O que é lugar de fala?” e Sessão de Autógrafos com Djamila Ribeiro

25/5 – SEXTA-FEIRA
18h | Ponto do Livro | Espaço de troca gratuita de livros
18h | Ponto do Livro | Sessão de Autógrafos com Conceição Evaristo
20h | Território da Palavra | Conversa | LITERATURA DO VALE, com Filoh Poeta, Julio Cesar da Costa, Marcos Mendes e Osvaldo Matsuda
21h30 | Território da Palavra | Conversa | ESCREVIVÊNCIA, com Conceição Evaristo e mediação de Bianca Santana
22h30 | Território da Palavra | Espetáculo | “CANTO DE VIDA E OBRA – CONCEIÇÃO EVARISTO” – Coletivo Morabeza Nação

26/5 – SÁBADO
10h às 12h | Biblioteca Pública Municipal | Conversa | COMO PUBLICAR E ACESSAR LIVROS INDEPENDENTES, com Bia Bittencourt (inscreva-se :https://bit.ly/2jIW86N)
11h | Ponto do Livro | Espaço de troca gratuita de livros
11h | Território da Palavra | Espetáculo | “Sons do Guarani”, com as aldeias Pindo Ty, Takuari Ty e Itapuã
14h às 17h | Biblioteca Pública Municipal | Oficina | FAB LAB: COMO FAZER LIVROS ARTESANAIS, com Albino Ribas, Célia Andrade e Maraléia Menezes (inscreva-se: https://bit.ly/2mpFETf)
14h | Território da Palavra | Conversa | TERRITÓRIO E IDENTIDADE, com Antonio Diegues, Benedito da Silva, Claudionor Henrique Pedroso, Daniel Clayton Pedro Rodrigues, Daniel Munduruku, Hermes Modesto Pereira, Maíra Silva, Rodrigo Marinho, Tatiana Cardoso e Timóteo Verá Tupã Popyguá
17h | Território da Palavra | FANDANGO DO MORRO SECO – Grupo de Fandango do Morro Seco
17h | Ponto do Livro | Lançamentos e Sessões de Autógrafos com Timóteo Verá Tupã Popyguá (livro “Yvyrupa – A terra uma só”) e Lisângela Kati do Nascimento (livro “O lugar do lugar no ensino da geografia”)
20h | Ponto do Livro | Lançamentos e Sessões de Autógrafos com Fátima Cristina Pires (livro “Ariú”), Lydia da Silva Gonçalves (livro “A flor que Encanta”) e Isabel Campos (livro “Árvore para Passarinhos”).
21h | Território da Palavra | Conversa | VOZES DE DESCONSTRUÇÃO, com Elisa Lucinda, Luiz Silva (Cuti), Vagner Amaro e mediação de Bianca Santana
22h30 | Território da Palavra | Show | LARISSA LUZ convida SANDRA DE SÁ e ELLEN OLÉRIA
23h40 | Território da Palavra | RODA DE JONGO com Comunidade Jongo Tiduca

Confira a programação completa: www.oficinasculturais.org.br/6fli

Centro Lúcio Costa promove a 5ª Jornada do Patrimônio

cartaz_final-e1525441409421.jpg

Clique na imagem para ampliar –  Riscos, desastres e impactos ao patrimônio Cultural – Jornadas do Patrimônio 2018

Data: 23 de maio de 2018 / Local: CLC: Escola do Patrimônio/RJ
Objetivos/Ementa:
O objetivo da jornada “Riscos, Desastres e Impacto” é promover um espaço de debate e partilha de experiências sobre casos relacionados ao tema, como forma de estabelecer uma rede de conhecimentos sobre os fatores que influenciam o patrimônio urbano, a documentação e o patrimônio natural.
Tratando se de uma atividade desenvolvida no âmbito do Observatório de Políticas e Gestão do Patrimônio do Centro Lucio Costa: Escola de Patrimônio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional- IPHAN, a jornada visa fomentar e aprofundar a reflexão sobre a participação social e o compartilhamento de funções, no âmbito Sul-Sul, assim como as responsabilidades na construção de políticas de patrimônio e na gestão de bens culturais.
O evento contará com palestrantes brasileiros e estrangeiro, no formato de mesas redondas e apresentações de estudos de caso relacionados a gestão de risco, desastres naturais e antrópicos, além dos impactos, abordados por distintos pontos de vista.

5ª Jornada Risco e Desastre – CLC-Escola do Patrimônio CONVITE

Concurso para o Iphan é autorizado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP)

Resultado de uma forte mobilização nacional, com o objetivo de evidenciar à sociedade a importância da preservação do Patrimônio Cultural brasileiro, uma grande conquista para o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) se deu nesta quinta-feira, dia 03 de maio, com a autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP) para realização do terceiro concurso público de cargos efetivos da história da instituição, publicada no Diário Oficial da União (DOU). São 411 vagas, sendo 104 vagas para Analista I, 176 vagas para Técnico I e 131 vagas para Auxiliar Institucional I, distribuídas em todo o país. Com a autorização, o Iphan pode dar início aos trâmites para realização do concurso que irá permitir a recomposição do seu quadro de servidores, fragilizado pelo atual número reduzido de técnicos, visto que o último concurso realizado foi em 2009.

Atuação do Iphan
O quadro técnico do Iphan – distribuído entre a sede em Brasília, 27 superintendências estaduais, 37 escritórios técnicos, incluindo os Parques Históricos Nacionais e seis unidades especiais – é responsável por uma ampla gama de atribuições constitucionais e legais, como identificação, reconhecimento, salvaguarda e fiscalização do Patrimônio Cultural Nacional, proteção dos Sítios Arqueológicos e Reservas Técnicas, preservação de acervos documentais e bibliográficos, identificação da diversidade linguística, gestão do Patrimônio Genético, execução de projetos e obras de intervenção em bens e conjuntos tombados, gerenciamento dos programas PAC das Cidades Históricas e Agora é Avançar, aprovação, fiscalização e apuração de prestação de contas de Convênios e processos de Lei de Incentivo à Cultura, ações educativas, assistência técnica e monitoramento do Patrimônio Mundial, e definição da Política de Patrimônio Cultural no Brasil.

O Iphan atualmente é responsável por fiscalizar um Patrimônio Material bastante extenso. São:

  • 87 Conjuntos Urbanos Tombados com 78 mil imóveis contidos nessas áreas;
  • 590 mil imóveis localizados em áreas de entorno dos bens tombados;
  • 1.264 bens materiais tombados;
  • 590 bens imóveis ferroviários valorados;
  • Mais de 29 mil cidadãos diretamente atendidos pelo Iphan;
  • 26.409 sítios arqueológicos cadastrados;
  • 336 instituições de pesquisa e guarda;
  • 11.926 mil projetos de pesquisa autorizados (1991-2017).

Além desses números, ressalta-se, também, a necessidade de análise sobre a saída de obras de arte do país, com cerca de 50 mil pedidos de autorização por ano.

Sobre as manifestações do patrimônio imaterial, são:

  • 41 bens imateriais registrados
  • 7 línguas inventariadas
  • 149 processos de salvaguarda em andamento
  • 39 processos de registro em andamento
  • 160 projetos do Inventário Nacional de Referências Culturais concluídos
  • 140 ações de apoio e fomento por meio do edital do PNPI

Programa Agora É Avançar, projeto do Governo Federal focado na retomada de obras em todo o país, a fim de oferecer mais crescimento e cidadania para os brasileiros, também é coordenado pelo Iphan. O programa pretende concluir, até o fim de 2018, sete mil empreendimentos, incluindo obras de infraestrutura logística, energética, defesa, social e urbana e envolvendo todos os ministérios setoriais. O Ministério da Cultura, por meio do Iphan, também integra o Agora é Avançar, com a previsão de investimentos em 61 ações destinadas ao desenvolvimento das cidades históricas brasileiras.

Além dessas obras, grande parte dos investimentos do país passa pelo Iphan, responsável pelas análises referentes ao Licenciamento Ambiental, num trabalho articulado com a Casa Civil e com os Ministérios do Meio Ambiente, Planejamento, Minas e Energia, Transportes e Cidades. A maior parte dos empreendimentos avaliados são das áreas de Ferrovias, Mobilidade Urbana, Transmissão e Geração de energia, Rodovias, Saneamento, Petroquímica, Portos e Aeroportos.

Iphan abre inscrições para a 31 ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade

Estimular e valorizar aqueles que atuam em favor da preservação do patrimônio cultural no país é, também, uma das missões do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Pensando nisso, uma das principais ações do Iphan em reconhecimento às ações de preservação do Patrimônio Cultural Brasileiro é o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, que está com inscrições abertas. Criado em 1987 em reconhecimento a ações de proteção, preservação e divulgação do Patrimônio Cultural Brasileiro, o prêmio, que está na sua 31ª edição e foi assim denominado em homenagem ao primeiro dirigente da instituição.

Neste edital de 2018, serão selecionados oito trabalhos representativos de ações no campo do Patrimônio Cultural Brasileiro e cada premiado receberá o valor de R$ 30 mil. Os trabalhos inscritos deverão ser entregues nas superintendências do Iphan nos Estados até o dia 21 de maio. As ações serão pré-selecionadas pelas comissões estaduais, compostas por representantes das diferentes áreas culturais de cada Estado, presidida pelo superintendente. Os projetos vencedores na etapa estadual serão analisados pela Comissão Nacional de Avaliação, formada pela presidente do Iphan e por 16 jurados que atuam nas áreas de preservação ou salvaguarda do Patrimônio Cultural.

O resultado final do concurso deverá ser divulgado até o dia 30 de agosto de 2018, no site do Iphan.

Em consonância com a proposta do Iphan de levar o prêmio para todas as regiões do Brasil e, em 2018, promover o Patrimônio Cultural do Norte brasileiro, a 31ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade acontecerá em Belém, capital do Pará. A cerimônia, marcada para novembro deste ano, será em ritmo de Carimbó, registrado pelo Iphan como Patrimônio Cultural do Brasil, e contará com outras expressões tradicionais do Norte, como o Boi-Bumbá de Parintins.

Nesta edição, o prêmio apresenta um novo formato de edital, com duas grandes categorias subdivididas em quatro seguimentos:

Categoria 1 – Iniciativas de excelência no campo do Patrimônio Cultural Material referem-se a ações nas áreas de preservação de bens imóveis como paisagens culturais, cidades históricas, sítios arqueológicos e monumentos; ou móveis, como coleções arqueológicas, acervos museológicos, documentais, bibliográficos, arquivísticos, videográficos, fotográficos e cinematográficos, assim como ações relacionadas de comunicação, difusão e educação, e devem ser apresentadas por pessoas físicas ou jurídicas que sejam responsáveis por sua concepção, autoria ou responsabilidade técnica.

Categoria 2 – Iniciativas de excelência no campo do Patrimônio Cultural Imaterial referem-se a ações nas áreas de salvaguarda de práticas e domínios da vida social que se manifestam em saberes, ofícios e modos de fazer; celebrações; formas de expressão cênicas, plásticas, musicais ou lúdicas; e nos lugares que abrigam práticas culturais coletivas, assim como ações de comunicação, difusão e educação, e devem ser apresentadas por pessoas físicas ou jurídicas que sejam responsáveis por sua concepção, autoria ou responsabilidade técnica.

Segmento I – Entidades Governamentais da administração direta dos níveis federal, estadual ou municipal ou indireta (autarquias; empresas públicas; sociedades de economia mista; e fundações públicas).

Segmento II – Empresas e Fundações privadas mantidas por empresas.

Segmento III – Outras Instituições sem fins lucrativos da sociedade civil organizada.

Segmento IV – Pessoas Físicas e representantes de grupos ou coletivos.

Serão selecionadas, ao todo, oito ações, sendo uma de cada segmento, por categoria.

No estado de São Paulo a documentação para inscrição das ações deverá ser entregue (ou encaminhada por correio nos termos do edital) na sede da Superintendência Estadual que fica na Av. Angélica, 626, cep 01228-000, Santa Cecília, São Paulo/SP.

Plano Diretor de Turismo : Oficina é realizada em Iguape

Nos dias 14 e 15 foi realizada Oficina de Planejamento Participativo de elaboração do Plano Diretor de Turismo de Iguape, uma iniciativa da Prefeitura de Iguape, coordenada pela empresa Muriqui Ecoturismo e que contou com ampla participação de público.

Contratada através de licitação realizada em novembro, a empresa é especializada em consultoria turística e usou o espaço da Associação Cultural Nipo-Brasileira (Clube Japonês) para apresentar aos inúmeros presentes dos mais diferentes setores sociais o resultado do material de pesquisa colhido durante a fase de levantamento de dados e análises sobre qualidades, fraquezas e ameaças que os presentes detectavam em relação a Iguape.

Com público acima da média, durantes os dois dias da oficina foram formados grupos integrados por comerciantes, empresários, estudantes, ambientalistas, servidores, integrantes do Conselho Municipal de Turismo e munícipes de diversos bairros da cidade.

Entre os inúmeros pontos levantados como qualidades de Iguape, vários dizem respeito ao ecoturismo, mergulhos, trilhas, esportes radicais, paisagem natural e histórica, culinária e turismo religioso. Entre fraquezas e ameaças apontadas, as mais referidas foram falta de brigada de incêndio, conservação dos prédios históricos, acessibilidade para os deficientes físicos e estratégias para o turista de temporada.

Todo o material reunido dos dois dias de evento será analisado e servirá de complemento aos dados levantados pela Muriqui para sistematizar o Plano Diretor de Turismo, a ser analisado pelo Conselho Municipal de Turismo de Iguape e, na sequência, encaminhado à apreciação da Câmara Municipal.

A iniciativa da Oficina de Planejamento Participativo de Turismo foi elogiada por todos e apontada para que se repita mais vezes. A participação da sociedade é fundamental para a criação, execução e fiscalização de projetos para a melhoria da cidade, tornando-a mais atrativa nos seus aspectos culturais, históricos e ambientais.

Iphan lança editais para restauração do Paço Municipal e Sobrado dos Toledos, em Iguape/SP

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), através da Superintendência do Iphan em São Paulo está lançando os editais para Contratação de serviços técnicos especializados de engenharia e arquitetura em bem tombado, visando a execução do Restauro do Sobrado Paço Municipal bem como do Sobrado dos Toledos, ambos localizados na cidade de Iguape/SP dentro das ações do Programa de Aceleração do Crescimento das Cidades Históricas.

O edital do Paço Municipal está disponívei no site www.comprasgovernamentais.gov.br/edital/343009-03-1-2017desde o dia 22/11/2017  ou das 10:00 às 12:00 hs e das 14:00 às 16:00 hs  na sede da Superintendência do Iphan em São Paulo, na Av. Angelica 626 – Santa Cecilia –  São Paulo (SP) , onde poderá ser lido ou retirado.

O prazo final de entrega da Proposta da Concorrência Nº 1/2017 (Paço Municipal) é no dia  22/12/2017 às 10:00 hs .

Já a Concorrência No- 2/2017 UASG 343009 do Sobrado dos Toledos está disponível no site http://www.comprasnet.gov.br/acesso.asp?url=/edital-343009-03-2-2017  . 

O prazo para entrega das propostas para a Concorrência nº 2/2017 (Sobrado dos Toledos) é dia 27/12/2017 às 10:00 hs.

Os editais foram publicados na edição do dia 21/12/2017 do Diário Oficial da União

Patrimônio Imaterial : Em Iguape acontece a 1ª Festa da Cooperpesca e Encontro de Fandangueiros de Iguape e Peruíbe

 A sede da Cooperpesca  recebe de 10 a 12 de novembro a primeira festa dos pescadores artesanais em parceria com os fandangueiros caiçaras da região. Na programação haverá apresentações musicais, baile de fandango, bingo com premio especial de 1 barco com borda alta além de concurso de contador de histórias de pescador. Será uma grande festa na comunidade com comes e bebes!
A Sede da Cooperpesca fica na Avenida Dornellas, 150, Bairro da Prainha (Aquárius), Iguape/SP. O evento é uma realização da COOPERPESCA – Cooperativa dos Pescadores Artesanais do Bairro da Prainha de Iguape,
Projeto – Ô de Casa – Mobilização, Articulação e Salvaguarda do Fandango Caiçara , Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN e Ministério da Cultura com a colaboração da AJJ – Associação dos Jovens da Juréia
e AAPCI – Associação dos Artesãos e Produtores Caseiros de Iguape e apoio da Prefeitura Municipal de Iguape e Colônia de Pescadores Veiga Miranda – Z7

 

#SOMOSTODOSIPHAN – 80 anos preservando o Patrimônio Cultural Brasileiro

Jongo do Sudeste, Maracatu, Fandango Caiçara, Bumba Meu Boi do Maranhão e a Capoeira encheram o palco do Theatro Municipal, no Rio de Janeiro (RJ), com ritmos, formas, movimentos, danças e cores. Os 80 anos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) foram celebrados pela riqueza e pela beleza do Patrimônio Cultural Brasileiro. Nada mais justo que a comemoração das oito décadas de uma das mais longevas instituições públicas brasileiras e a primeira dedicada à preservação do patrimônio cultural na América Latina ocorresse com o que há de mais representativo na cultura do Brasil: sua diversidade.

O Rio de Janeiro, cidade que possui um grande número de bens protegidos – tombados e registrados em nível federal – e que também é Patrimônio Mundial por sua Paisagem Cultural Urbana, foi escolhido para ser o cenário dessa celebração. O evento, que aconteceu no dia 24 de outubro, teve como um dos destaques a cerimônia de entrega do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, a mais importante premiação do país voltada para ações de valorização, promoção e preservação do Patrimônio Cultural Brasileiro. Nesta 30ª edição, o Prêmio, promovido pelo Iphan, contemplou oito projetos, dos estados do Amapá, Ceará, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Veja a notícia completa no Portal do IPHAN

Em Cananéia/SP ocorre a 2ª Festa do Fandango Caiçara : “vai ser poco do bom !”

 

O Ponto de Cultura Caiçaras através do Projeto “Ô de Casa: Mobilização, Articulação e Salvaguarda do Fandango Caiçara”, realizará entre os dias 12 e 15 de outubro a 2ª Festa do Fandango Caiçara de Cananeia, que tem o intuito de apoiar, incentivar, fomentar e difundir elementos do Fandango Caiçara, promovendo a rica expressividade histórica, social e artística dessa tradicional cultura popular brasileira.
O evento contará com a participação dos grupos de Cananeia: Grupo de Fandango Esperança, Grupo de Fandango Batido São Gonçalo, Grupo de Fandango Vida Feliz, Grupo de Fandango Família Neves, Irmãos Pereira, Família Alves e Grupo Violas de Ouro do São Paulo Bagre.
Contaremos ainda, com as participações especiais de grupos de Fandango Caiçara das cidades de Iguape (SP), Ubatuba (SP), Paranaguá (PR), Guaraqueçaba (PR) e Paraty (RJ).
Ao todo, serão quatro dias de intensas vivências, rodas de conversa e muitas outras atividades, aliadas à arte, educação e a rica cultura caiçara.
Confirma aqui a programação completa:

12/10 – QUINTA-FEIRA

Local: Praça Theodolina Gomes (Tiduca) – Rua do Artesão s/nº
Programação especial do “Dia das Crianças”
10h00 – Feira de Troca de Brinquedos (atividade c/ educadoras do Quintal Caiçara)
14h00 – Oficinas, jogos e brincadeiras (atividades c/ educadoras/es do Grupo Cultural Tiduca)

Local: Praça Theodolina Gomes (Tiduca) – Rua do Artesão s/nº
19h00 – Abertura da “Feira Caiçara”
20h00 – Conferência de abertura: A importância da salvaguarda do Fandango Caiçara – Profa. Patrícia Martins – (Instituto Federal do Paraná/IFPR)
21h00 – Lançamento dos produtos sociais do projeto “Ponto de Memória Caiçaras”
22h00 – Baile de Fandango Caiçara
13/10 – SEXTA-FEIRA

Local: Casa Caiçara – Praça Martim Afonso de Souza s/nº
9h00 – Abertura das exposições “Ô de Casa” & “Lembranças de um fandango caiçara”
10h00 ás 18h00 – Encontro de memória e salvaguarda do Fandango Caiçara

Local: Praça Theodolina Gomes (Tiduca) – Rua do Artesão s/nº
19h00 – Mostra de vídeos: Fandango e cultura caiçara
20h00 – Roda de prosa: Território, Patrimônio e Direitos Caiçaras (presença de fandangueiros/as, pesquisadoras/es, Representantes de órgãos governamentais e de autoridades governamentais locais)
22h00 – Baile de Fandango Caiçara

14/10 – SÁBADO

Local: Casa de Mestre Agostinho
10h00 – Vivência: visita monitorada a Casa do Mestre Agostinho Gomes

Local: Casa Caiçara – Praça Martim Afonso de Souza s/nº
14h00 – Vivência: Toques e ritmos do fandango caiçara com Mestre Zé Pereira
Local: Praça Theodolina Gomes (Tiduca) – Rua do Artesão s/nº
19h00 – Mostra de vídeos: Fandango e cultura caiçara
20h00 – Roda de prosa: “Não conheceee?” – Conversa sobre as histórias, poesias e letras musicais do Fandango Caiçara
22h00 – Baile de Fandango Caiçara
15/10 – DOMINGO

Visita a comunidades e atrativos naturais (turismo comunitário c/ pré-agendamento)

  • Adequado para Crianças

Como diz o caiçara, ” vai ser poco do bom ” !

 

Atenção : Novo procedimento para protocolar documentos no Iphan/SP

 

Por determinação do Governo Federal, até outubro deste ano toda a Administração Pública Federal irá usar o sistema SEI (Sistema Eletrônico de Informações) para instruir e tramitar seus processos, que passarão a ser todos digitais.

Informamos que no IPHAN/SP , e por conseguinte na Casa do Patrimônio Vale do Ribeira e Escritório de Iguape, esta exigência entrará em vigor a partir de 18/09/2017 e que, durante 30 dias, ainda serão aceitos documentos trazidos pelo público em vias impressas, porém, a partir de 18/10/2017, a entrega de qualquer documento será feita obrigatoriamente em arquivos digitais, gravados em CD e, preferencialmente, em PDF (se possível, PDF pesquisável).

Por questões de segurança, não serão aceitos documentos em outros dispositivos (ex: pen drive, cartão de memória, entre outros).

ATENÇÃO: os seguintes documentos deverão ser entregues, além da via digital, uma via impressa:

  • Documentos que contenham assinaturas (de qualquer tamanho);
  • Documentos cujos tamanhos sejam maiores que uma folha A4 (210 x 297 mm);
  • Documentos para autorização de saída de obra de arte (impressão colorida);

A confirmação de que os documentos foram protocolados será dada por meio de um recibo, não sendo mais necessário que o cidadão traga uma via impressa para levar consigo.

Gastronomia : 25ª Festa da Tainha acontece em Iguape/SP

A  festa será realizada no Bairro do Icapara realizará entre os dias 7 a 10 de julho,  na Praça do Descobrimento.

Com várias atrações como dança, artesanato, Iguarias Caiçaras, a Festa também terá shows e atividades culturais. A atração principal no entanto é a Tainha Recheada, tradicional na gastronomia iguapense. Aguarda-se um consumo de mais de duas toneladas de Tainha e é uma excelente oportunidade para conhecer os encantos naturais do bairro que tem o marco da fundação de Iguape datado do século XVI. Icapara é considerado cartão postal de Iguape por sua paisagem recortada por mata atlântica, manguezais e canais do Mar Pequeno .

Veja a programação completa :

13 DE JULHO – Quinta

20h – Abertura Oficial da Festa

21h – Ronnan & Raphael

23h – Velha Maromba

14 DE JULHO – Sexta

12h – Naylor Carvalho e Giovanni Ribeiro

13h – Vivências da Cultura Caiçara:

– Confeccionando a Viola Branca e o Machete – Odirlei Alves

– Confeccionando a Canoa – Seu Walter Alves de Lima

– Confeccionando a Rabeca – Seu Florêncio

– Confeccionando o Remo – Zé do Remo

– Trançando a Cestaria – Dona Zelinda

19h – Fandango do Rocio

21h – Banda Cataia

23h – Marcelo Vox

15 DE JULHO – Sábado

12h – Jackson Ricarte

13h – Vivências da Cultura Caiçara:

– Confeccionando a Viola Branca e o Machete – Odirlei Alves

– Confeccionando a Canoa – Seu Walter Alves de Lima

– Confeccionando a Rabeca – Seu Florêncio

– Confeccionando o Remo – Zé do Remo

– Trançando a Cestaria – Dona Zelinda

14h30 – Adriano Maciel & Artur Souza

19h – Grupo Manema

20h – Quadrilha do Porto do Ribeira

21h – Packaw e a Nave

23h – Bicho de Pé

16 DE JULHO – Domingo

12h – Lara Cantador do Vale

13h – Vivências da Cultura Caiçara:

– Confeccionando a Viola Branca e o Machete – Odirlei Alves

– Confeccionando a Canoa – Seu Walter Alves de Lima

– Confeccionando a Rabeca – Seu Florêncio

– Confeccionando o Remo – Zé do Remo

– Trançando a Cestaria – Dona Zelinda

13h30 – Yasmin Farias e Binho

17h – Banda Maestro Aquilino Jarbas de Carvalho

22h – Fafá de Belém

Cais do Valongo (RJ) ganha título de Patrimônio Mundial da UNESCO

valongo

O sofrimento daqueles que foram tirados à força de suas terras de origem para uma vida de trabalhos forçados e degradação é algo que não pode ser esquecido. Foram mais de quatro milhões de africanos escravizados no Brasil e que agora terão sua dor representada e relembrada na decisão da UNESCO, que acaba de reconhecer o Sítio Arqueológico Cais do Valongo (RJ) como Patrimônio Mundial.

A decisão partiu de 22 nações que compõem o Comitê do Patrimônio Mundial, que reuniu-se esta semana na cidade de Cracóvia, na Polônia.

randomica

Principal porto de entrada de africanos escravizados no Brasil e nas Américas, o Cais do Valongo, localizado na região portuária do Rio de Janeiro (RJ), é um símbolo desse infeliz episódio que representa uma das maiores injustiças da história mundial. Muito importante para a comunidade afro-brasileira e para a comunidade afro-americana em geral, o Cais do Valongo agora encontra-se no mesmo patamar da cidade de Hiroshima, no Japão, e do Campo de Concentração de Auschwitz, na Polônia, classificados como locais de memória e sofrimento.

O Cais do Valongo foi o principal cais de desembarque de africanos escravizados em todas as Américas e também o único preservado materialmente. Pela magnitude do que representa, coloca-se como o mais destacado vestígio do tráfico negreiro no continente americano.

O título de Patrimônio Mundial representa o reconhecimento de um exemplo único da história da humanidade que, apesar do processo escravagista produzido, propiciou uma inestimável contribuição dos africanos e seus descendentes à formação e desenvolvimento cultural, econômico e social do Brasil, de modo direto, e da região, de modo indireto. O título também reconhece o valor universal excepcional do local, como memória da violência contra a humanidade representada pela escravidão, e de resistência, liberdade e afirmação, fortalecendo as responsabilidades históricas, não só do Estado brasileiro, como de todos os países membros da UNESCO.

Veja a notícia completa no portal do IPHAN.

Cadastro Nacional da Capoeira tem nova plataforma

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) disponibiliza, a partir do dia 1º de julho, uma nova plataforma para realização do Cadastro Nacional da Capoeira (CNC). Ela permite o cadastro de mestres de capoeira, capoeiristas, grupos e entidades de capoeira, além de pesquisadores do campo, em um instrumento que visa a salvaguarda do Ofício de Mestre de Capoeira e da Roda de Capoeira, bens culturais registrados como Patrimônio Cultural do Brasil.

A nova plataforma possibilita consultar informações sobre os cadastrados em mapas e listas (a depender da categoria), além de outras funcionalidades, como disponibilização de publicações, divulgação de eventos, notícias e fóruns de discussão para os coletivos de salvaguarda da Capoeira. Ressalte-se que esse último recurso em específico estará disponível em breve, após definição sobre os termos de uso de cada fórum por meio de diálogo entre o Iphan e os coletivos de salvaguarda de cada estado.

O Cadastro Nacional da Capoeira tem por objetivo facilitar o diálogo entre o Iphan, os mestres de capoeira, capoeiristas e outros segmentos envolvidos com a capoeira, em uma proposta de salvaguarda participativa e inclusiva. Assim, o cadastro viabiliza uma ampla identificação e mapeamento do universo sociocultural onde a capoeira está inserida e fornece informações importantes para a atuação da instituição na mobilização dos capoeiristas em cada Estado.

É importante lembrar que as informações enviadas ao Iphan, por meio dos formulários disponibilizados na plataforma, são de inteira responsabilidade dos cadastrados. Para evitar a multiplicidade de dados, o cadastro deve ser realizado apenas uma vez por cada pessoa ou instituição, sendo permitida apenas uma inscrição por e-mail.

Dúvidas e informações: cgsg@iphan.gov.br

Jornadas do Patrimônio acontecem de junho a agosto no Centro Lúcio Costa, no RJ

O Centro Lucio Costa, unidade do Departamento de Articulação e Fomento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), atualmente está se estruturando como uma Escola do Patrimônio e realizará, nos meses de junho, julho e agosto, as “Jornadas do Patrimônio”, no escopo de sua Agenda Brasil. Voltadas para o atendimento de demandas por capacitação para a preservação do patrimônio cultural com vistas ao Sistema Nacional do Patrimônio Cultural, a partir deste ano, as Jornadas do Patrimônio passam a fazer parte da estrutura do Mestrado Profissional do Iphan – PEP/MP, como Atividades de Extensão.

Como resultado da parceria entre Iphan e o Mestrado Profissional em Conservação e Restauração de Monumentos e Núcleos Históricos (MP-CECRE da UFBA), serão apoiados quatro minicursos, voltados exclusivamente para os alunos do MP-CECRE, na cidade de Salvador. As Atividades de Extensão voltadas para os servidores do Iphan constituirão em quatro jornadas promovidas na cidade do Rio de Janeiro e difundidas por videoconferência para as unidades do Iphan.

As Jornadas do Patrimônio em 2017, organizadas em parceria com o Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização (DEPAM), têm como principal objetivo contribuir para a melhoria das capacidades de servidores do Iphan nas áreas de conservação e restauro, sejam os jovens arquitetos e engenheiros que ingressaram no instituto com pouca experiência nas áreas de conservação e restauro; os profissionais com formação específica e vasta experiência, que possam contribuir para os debates; e ainda servidores de outras áreas de formação, para que se apropriem dos conteúdos dos diversos temas pertinentes à preservação. Das jornadas poderão participar também convidados externos, profissionais e estudantes interessados no campo da preservação do patrimônio cultural.

As quatro jornadas – agendadas para os dias 26 de junho, 24 de julho, 7 e 28 de agosto – contarão com palestras ministradas por um professor estrangeiro e apresentações, realizadas por servidores do Iphan ou professores brasileiros, de casos que espelhem os problemas enfrentados no Brasil e que contribuam para a capacitação proposta. Já estão confirmados os professores:

João Mascarenhas Mateus – Centro de Investigação em Arquitetura, Urbanismo e Design da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa;

María Margarita Segarra – Facoltà di Architettura da Università di Roma Tre;

Claudio Varagnoli – Facoltà di Architettura da Università degli Studi “G. d’Annunzio” Chieti-Pescara;

José Aguiar – Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa

As jornadas serão transmitidas por videoconferência para a rede Iphan, podendo contar também com público presencial no Rio de Janeiro. Os professores estrangeiros farão suas apresentações na parte da manhã e os brasileiros na parte da tarde. As apresentações contarão com um debatedor para levantar questões relacionadas aos casos apresentados.

Todo material didático utilizado nas apresentações será incorporado ao acervo do Centro Lucio Costa para disponibilização em futuras atividades formativas.

Por meio da apresentação e debate de casos atualmente desafiadores para o Iphan, espera-se enriquecer os repertórios de referências em conservação e restauro de servidores do Iphan e ampliar o interesse pelos temas da conservação, restauração, revitalização e renovação de bens imóveis e sítios urbanos apresentados pelos participantes externos.

As apresentações dos estrangeiros ocorrerão nas dependências do Centro Lucio Costa, no Rio de Janeiro, e as dos brasileiros em outras dependências do Iphan, por videoconferência, sem necessidade de deslocamento para o Rio de Janeiro.  Todas as aulas serão em português.

A 1ª Jornada do Patrimônio, no próximo dia 26 de junho, terá o seguinte Programa:

Manhã: 9 às 12:30 –João Mateus Mascarenhas – Pesquisador principal do Centro de Investigação em Arquitetura, Urbanismo e Design (CIAUD) – Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa

Título da palestra:

“Introdução à História da Construção e sua relação com a preservação do patrimônio edificado”

Temas a serem abordados:

1) apresentação da História da Construção como campo de conhecimento útil à preservação;

2) como pesquisar, registrar e difundir o conhecimento sobre sistemas construtivos históricos;

3) como aplicar as antigas técnicas de execução considerando a prática e a tecnologia atual da construção civil;

4) comportamento estrutural dos sistemas construtivos tradicionais (com destaque para as alvenarias de pedra e tijolo, sistemas abobadados e gaiola pombalina) e decorrentes premissas para intervenções (p.e.: permissividade dessas estruturas quanto a supressões de partes e compatibilidade com novos materiais de reforço/ consolidação).

Tarde:

14 às 15 – Mariely Cabral de Santana – Professora do MP-CECRE UFBA

Estudo de caso: “Mestres Artífices na Chapada Diamantina: o registro de técnicas e sistemas construtivos tradicionais, em especial alvenarias de pedra e terra”

15 às 18h – Debates

Debatedora: Sandra Rafaela Magalhães Correa – Coordenadora Geral de Conservação/DEPAM

Os programas das próximas jornadas serão divulgados oportunamente.

Serviço:
Jornadas do Patrimônio acontecem de junho a agosto

Data:  26 de junho, 24 de julho, 7 e 28 de agosto. 9h às 18h
Local: Edifício do Teleporto / End.: Av. Presidente Vargas Av. Presidente Vargas, 3131 – 19º andar – Auditório. s Av. Presidente Vargas, 3131 – 19º andar – Auditório.

5º FLI acontece em Iguape/SP entre os dias 25 e 27 de maio

Entre os dias 25 e 27 de maio será realizado na cidade de Iguape, região sul do Estado de São Paulo, a 5ª edição do Festival Literário de Iguape (FLI). Desta vez, o evento discute e reflete sobre a influência da Tropicália, movimento que sacudiu o país e revolucionou a cultura no final da década de 1960, na cultura brasileira. Durante três dias, o FLI terá shows, sarau e mesas-redondas com a presença de artistas como Arnaldo Antunes, Chacal, Ferréz Escritor, Carlos Calado, Paulo Lins, Ninho Moraes, Juçara Marçal, Santiago Nazarian, Camilo Vannuchi, Carla Gullo – Piano e Musicalização, Marco Pezão, Companhia Viela de Danças, Netto Pio Oficial e As Bahias e a Cozinha Mineira, que promoverão reflexões sobre o impacto da tropicália nos dias de hoje. Além disso, a população também poderá participar da feira de troca de livros. Os eventos são gratuitos e serão na Praça da Basílica e em três escolas da rede pública municipal de ensino.

MICCA promove evento de artes integradas em Cananéia e Ilha Comprida

A MICCA – Mostra Ilha Comprida & Cananéia de Artes – é um evento de artes integradas e que tem como tema para essa primeira edição a Arte de Rua.
No dia 27 de março comemorou-se o dia internacional do teatro, o dia nacional do circo e do graffiti. Buscando integrar essas três linguagens, nasce a MICCA.

O objetivo da mostra é reunir grupos, coletivos e artistas, que resistem e persistem em continuar fazendo arte em diferentes territórios e contextos, para trocas, reflexões e disponibilização pública dos seus trabalhos artísticos para a população de Ilha Comprida, Cananéia e localidades próximas.

O evento acontece de 20 a 23 de abril.

Conselho Municipal de Turismo de Iguape elege nova diretoria

Em duas reuniões ordinárias, realizadas em fevereiro e março de 2017, definiu-se a nova composição do Conselho Municipal de Turismo de Iguape (COMTUR) que definiu Geraldo Paschon, da Abaré Pousada de Pesca, como Presidente e Eliana Maria Rocha e Silva, da Caioá Editora, como Secretária Executiva. para a gestão de 2017/2018.

O COMTUR tem caráter deliberativo e consultivo. Sua finalidade é orientar e assessorar o desenvolvimento do turismo no Município de Iguape. No biênio de 2017/2018 será constituído por 36 membros, 18 titulares e 18 suplentes, indicados pelos órgãos, entidades, cooperativas, associações, organizações e representantes do poder público. É composto das seguintes entidades: Departamento de Turismo, Cultura, Meio Ambiente e Educação da Prefeitura, representante da Câmara Municipal, representante de Cultura e Comunicação Social, ICM-Bio, IPHAN (Casa do Patrimônio Vale do Ribeira) , Iandê ONG Brasil,  ETEC Narciso de Medeiros, Associação Jovens da Juréia, Representante de guias e monitores de Iguape, Colônia de Pesca, Entidade Religiosa, Associação Comercial de Iguape, Associação de Artesãos e Produtores Caseiros de Iguape – (AAPCI), Representante das Pousadas de Pesca Amadora, Representante de meios de hospedagem e serviços de alimentação.

As reuniões são abertas e acontecem na última quinta-feira do mês, às 15 horas, no auditório da Prefeitura de Iguape. O e-mail é comtur.iguape@gmail.com

Condephaat promove Oficina de Patrimônio em Iguape/SP

Entre os dias 10 e 12 de Abril, a UPPH/Condephaat realizará no Vale do Ribeira, a primeira etapa do ciclo de “Oficinas de Patrimônio”, nos municípios que possuem conjuntos urbanos tombados: Iporanga (10), Cananeia (11) e Iguape (12).

O objetivo das Oficinas é aproximar o órgão, a população e as Prefeituras visando à preservação do patrimônio cultural dessas cidades.

Serão debatidos temas de necessidades locais; difusão de informações e mecanismos de preservação – financeiros, legais, educacionais; fomento à articulação e participação social no patrimônio; incentivar ações de governo para a preservação; dentre outros. A participação dos vários segmentos da sociedade e da Prefeitura é fundamental para o sucesso da preservação cultural.

A Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico (UPPH) é o departamento técnico do Condephaat – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico, criado em 1968 e vinculado à Secretaria da Cultura, órgão responsável pela proteção, valorização e divulgação do patrimônio cultural no Estado de São Paulo.

A oficina acontece às 20 horas e possui certificado digital. Inscrições podem ser feitas na Biblioteca Municipal, das 9 às 17 horas, até dia o dia 12 de abril (dia da atividade).

O endereço é Rua Major Moutinho, 200 – Beira do Valo.